Já ouviu a Rádio SulAmérica Trânsito?

A família Sanzone, dona da Rádio Metropolitana Paulista, de Mogi das Cruzes, mantém funcionando o AM 1070kHz, muito popular na região do Alto Tietê. Mas nunca soube o que fazer com a concessão FM, em 92,1MHz. Antes da emissora ser “arrendada” para a Igreja Pentecostal Deus É Amor, ali funcionou durante algum tempo a Líder FM (também da família Sanzone) e, por menos tempo ainda, a Emoção FM, quando a frequência foi emprestada para a Record (lembram disso?).

Pois uma excelente jogada publicitária deve popularizar os 92,1 ao menos entre os cinco milhões de veículos que circulam na capital paulista. A família Sanzone, a MPM Propaganda, a seguradora SulAmérica e o Grupo Bandeirantes trabalharam e negociaram durante um ano, formatando um tremendo canal de comunicação para o motorista: a Rádio SulAmérica Trânsito. O primeiro entrou com a concessão; o segundo elaborou a idéia; o terceiro entrou com a marca e a grana; por último, mas não menos importante, o quarto entrou com a credibilidade jornalística. A nova emissora entrou no ar no último dia 12 de fevereiro.

Ouvinte-repórter – A grande novidade “editorial”, digamos assim, é uma cobertura maciça da movimentação nas ruas da cidade, entre as cinco da manhã e às nove da noite – há décadas, esse serviço já existe nas outras emissoras jornalísticas da capital, mas para o dia todo, só em outras duas metrópoles, Xangai e Londres.

Aliás, abre parênteses. O mais inovador entre os formatos do gênero foi usado por um tempão na finada 89 FM. O Giro 89, durante o horário de pico à tarde, soltava pérolas sensacionais como “o trânsito na Avenida Tiradentes está enforcadaço, enquanto a Doutor Arnaldo segue doente nos dois sentidos”. Fecha parênteses.

Em São Paulo, isso não inclui apenas os oito repórteres, os seis âncoras e as dez viaturas circulando. Mas especialmente os ouvintes, que ligam para 3743-2475 e entram no ar ao vivo.

Isso também não é novidade. Em 1983, o atual vice-presidente da Band Marcelo Parada estava na Rádio Eldorado. E num momento em que nem o repórter na rua e nem o helicóptero (outra invenção da Eldorado) conseguiam identificar as razões de um congestionamento, um ouvinte ligou para a rádio e relatou tudo. Estava inaugurada a era do “ouvinte-repórter” na emissora.

A iniciativa tem prós e contras. A grande maravilha do rádio é seu posto de pioneira em participação do público – esse negócio que hoje a Internet banalizou, já que qualquer fórum meia-boca é batizado de “interação”. Ao mesmo tempo, colocar o espectador no lugar do jornalista pode legitimar uma redação enxuta (portanto, mais barata). Sem falar no risco de ouvir o Seu Zé, direto da Rua Rei dos Cocos, dizendo que “aqui a coisa está impressionante”. E a gente fica sem saber se está bom ou não.

Como funciona – Como faço parte (claramente, diga-se) do público-alvo da emissora, já me habituei a ouvi-la desde o momento que saio de casa, até chegar à Marginal Tietê – como a rádio pertence à Metropolitana, a antena deve ficar na Serra do Itapeti, entre Mogi e a Ayrton Senna. Assim, a recepção fica horrível no centro expandido. Além disso, qualquer experiência feita sem qualquer referência anterior passa por muitos ajustes já funcionando.

O locutor no horário que costumo sair é o ótimo Flávio Siqueira, conhecido de qualquer aficcionado por rádio. Imagino que, tanto ele quanto os demais âncoras, adorariam ter que “filosofar” menos a respeito da importância dessa iniciativa, do quanto estão felizes em ajudar o paulistano e proporcionar uma vida melhor… Certamente é uma “papagaiada” imposta por quem manda (ou talvez uma tentativa de amenizar esse assunto chato), mas meio desnecessária para quem se propõe a falar sempre sobre o que realmente me interessa.

Então ele coloca alguns trechos de músicas voltadas para o público adulto (mistura de Antena 1 com Nova Brasil). Mas só trechos curtos, já que a programação cultural, sempre alternadas com dicas para os motoristas e informações gerais sobre a cidade, é depois das nove. Antes mesmo do refrão, entram os repórteres do horário: Daniela Florenzano, Isabel Campos e Álvaro Bufarah.

Mas o grosso mesmo da programação é o “você repórter”. Flávio Siqueira chama o ouvinte pelo nome – o que pressupõe uma triagem prévia, para minimizar possíveis avacalhações. E a coisa funciona: se o âncora percebe que o cidadão pode acrescentar algo mais, ele pergunta: “e no sentido contrário, como está indo?”. Caso contrário, ele corta rapidamente e agradece, dizendo “ligue mais vezes”.

MPM PropagandaEm duas semanas, foram poucas as informações contraditórias que eu ouvi – teve um que disse “a Marginal tá toda parada, um horror” e, logo depois, outro diz “olha, também estou na Marginal mas tá tudo andando, viu?”. Mas até mesmo os fiscais da CET costumam entrar ao vivo para esclarecer algo – “olha, nós não multamos quem anda com engate fora de especificação, isso é trabalho da polícia militar”. Além de toneladas de ouvintes agradecendo por essa graça divina em forma de prestação de serviços.

Benesse da propaganda – Não existe “graça divina” de graça, óbvio. Essa brincadeira toda vai custar, segundo consta, R$ 30 milhões. A grande sacada não está no auxílio ao pobre coitado preso no engarrafamento durante o horário de pico. O negócio atende pelo nome de marketing de conteúdo.

Toda a concepção foi da MPM propaganda, que teve a brilhante idéia de associar a imagem da seguradora a uma informação absolutamente relevante. Mais do que isso: a marca do patrocinador está no próprio nome da emissora. Associação mais direta, impossível.

Para completar, a agência espalhou a frequência da nova emissora em boa parte dos relógios de rua da cidade. A novidade também foi anunciada na Veja São Paulo, jornais de grande porte e em outras emissoras – não só na Rede Bandeirantes de Rádio, mas em algumas concorrentes. Quem mora em São Paulo e anda de carro com certeza já ouviu falar nessa emissora.

Dessa forma, eu e você fixamos a marca da SulAmérica não só através da publicidade, digamos, tradicional. Mas praticamente graças ao seu conteúdo informativo gerado por uma empresa de credibilidade, que consegue conversar sem ruídos mesmo com quem não é cliente da empresa. Aliás, este certamente vai associar a marca com coisas boas, positivas. E como qualquer veículo de comunicação, outras empresas poderão anunciar ali e embarcar na idéia – desde que, evidentemente, não concorra com a seguradora. Genial, não?

Inicialmente, o projeto tem duração prevista de três anos. Até lá, dificilmente outras alternativas a uma emissora 100% trânsito poderiam ser mais úteis – o que mais se aproxima disso chama-se Traffic Message Channel, um protocolo de transmissão digital capaz de transmitir informações (em texto) sobre condições de trânsito (não confundir com GPS, que só informa a localização). Funciona tanto via satélite quanto associado ao FM.

Até o TMC chegar por aqui, a SulAmérica pode muito bem ter superado a Porto Seguro, que atualmente domina o mercado de seguradoras no país. Então a rádio trânsito já terá cumprido seu papel. Enquanto isso não acontece, vamos saudar sua existência e aproveitá-la bem.

Para saber mais sobre a Rádio SulAmérica Trânsito: veja a notícia do site Rádio Agência e muitos detalhes no blog da Magaly Prado (procure pelos dias 15 e 16 de fevereiro).

Comentários em blogs: ainda existem? (18)

  1. cara, muito bacana essa iniciativa. Sou do interior e essa seria uma iniciativa completamente inutil por aqui, visto que congestionamento a gente só vê no jornal a noite e geralmente em São Paulo, hehe. mas, para quem vive no meio desse formigueiro deve ser muito útil.

  2. Uma boa sacada, indiscutivelmente. E como ninguém nunca havia pensado nisso antes numa cidade como São Paulo?

    Aliás, o cara que saiu para eu entrar no meu emprego atual foi trabalhar justamente na rádio…

  3. É bom saber que agora temos uma opção em-horário-comercial-expandido em FM. Pena que meus itinerários concentrem-se no centro expandido.

    Com meu carro sem rádio, tenho tentado encontrar um bom portátil AM — sou ouvinte há anos da Eldorado e suas informações de trânsito já me salvaram de alguns congestionamentos. Como não parece haver aparelhinho capaz de apresentar boa recepção (em AM), desisti.

    Mas creio que valha a pena experimentar os 92,1. Não amanhã, que é dia do meu rodízio, mas na quarta… quem sabe?

  4. Andréeeee!!!

    Que saudade deste espaço! Aliás, muitos parabéns pela casa nova, a qual visito pela primeira vez hoje, diga-se de passagem… estive ás voltas com um mega problema no meu micro… hehehe

    Enfim, dois comentários sobre o post:

    1 – Realmente o Giro 89 era muito bom, especialmente pelas sacadas linguísticas… e melhor delas, poré, você não lembrou: “E no minhocão, seeempre elevado, o trânsito…..”. Hahaha, muito bom…

    2 – Eu ainda não tiver a oportunidade de ouvr a Radio Transito por um motivo beeem desagradável (mas que faz parte, e é resultado, da mesma cidade onde uma rádio deste tipo torna-se útil): Quebraram meu vidro e levaram meu rádio… EM FRENTE DE CASA!!!

    Aquele abraço, Amigo! Saudades suas!!!

  5. Sexta-feira fez muito sol, muito calor. Vontade de ir pra praia. Nove da noite, vou pro Sahy. Já no carro penso: pego a Imigrantes ou a Ayrton Senna e Mogi Bertioga? Já sei. Vou tentar ouvir a tal Sul América Transito. Sintonizo. Primeiro fica um povo dizendo sobre o trânsito na Marginal Tietê que estaria ruim no sentido Lapa, perto do Anhembi por causa do desfile das campeãs. Aí uma repórter filosofa dizendo que “as pessoas param pra tentar olhar as cabrochas”. Nossa. Cabrocha doeu. Ainda mais porque da Marginal não dá pra ver nada dentro do Sambódromo. Até o próprio locutor responde que cabrocha é um termo antigo demais. A repórter se desculpa. Demoram no seu papo de aranha. Nada acontece. Chamam comercial. Na volta vai uma outra repórter falar da Regis Bittencourt. Fala, fala e não fala nada. Resolve filosofar sobre as estrelas que estava vendo na noite. Sei lá. Passaram-se uns quinze minutos. Novo comercial. Na volta o locutor chama uma música. Sexta-feira início da noite, final de verão, muito calor e eu não consegui ouvir nenhuma info sobre estradas para o litoral paulista. Desisti.

  6. Aqui na Grande Los Angeles temos uma estação para trânsito, KNX, 1070 AM, sei que há uma transmissão só para condições perto do aeroporto principal, LAX. É chatinho. A proposta aí parece mais animada.
    Nossa hora do rush começa antes das três, o jantar é às seis-seis e meia. Uma das autopistas principais fica entalada o dia inteiro, motivo de piadas, a 405.

    Bom dia. O código das rapidinhas tá legal. Obrigada.

  7. A idéia é bastante interessante, mas deve ser chato ficar ouvindo o tempo todo esse tipo de informação. Uma hora cansará.

    Aqui no Rio a Rádio CBN faz um trabalho bem completo de informações sobre o trânsito da cidade.

  8. A idéia e a iniciativa são interessantes sem dúvida. Mas o mais interessante é que no período que antecedeu à criação da rádio, essa frequência estava com uma programação musical muito boa. E sem locutores ou propaganda! Infelizmente acabou…

  9. André, eu descobri esta rádio apenas no domingo, na casa do Tuca. Aliás, que domingo… chuvas torrenciais pela cidade, carro com motor esquentando, ficamos ilhados um tempão por causa da radial leste, que estava totalmente travada e sem perspectivas de fluir… acabamos voltando pra casa dele e ele sintonizou na tal rádio.
    Ah, eu também adorava o Giro 89! Realmente eles diziam cada pérola… boa lembrança esta sua! :D

  10. Ah, que falta eu sinto de um serviço assim no Rio! Temos algums rádios com serviço de informações sobre o trânsito passadas por repórteres que sobrevoam a cidade em helicóptero porém somente nos horários de rush.

  11. Depois que conheci a rádio, troquei definitivamente de estação. Que música nada!!! Quero mais é me interar sobre o trânsito. Outro dia estava num trânsito interminável na Av. Cidade Jardim, sentido Centro, às 7h30 da manhã. Iria passar pelo túnel p/ sair na nove de julho. Pensava (enquanto ouvia a rádio)
    – Nossa, que trânsito hoje!!! Não mais que 05 minutos, ouço o Kiko informando sobre um acidente c/ um motoqueiro na saída do túnel. Para mim foi ótimo, pois peguei a pista da esquerda e entrei no túnel que sai na JK. Estava chegando no trabalho enquanto ouvia que a muvuca continuava por lá.
    AMO ESTA RADIO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  12. Giro 89… Demais fazer parte desta equipe que, despretensionamente, fez um trabalho divertido… Paola Pelosini, Flávia Araújo, Eric Santos, Luis Augusto, Sarah Oliveira, Roberto Hais, Panayotes, Fabiana Leão…muita gente bacana participou dessa história…

  13. Gostaria de parabenizar a todos vcs por esta iniciativa, eu como muitos motoristas de SP agradecemos!!!
    Hoje adorei qdo o Ronald em resposta ao motoqueiro que entrou no ar pedindo que as pessoas olhassem para o espelho antes de mudar de faixa, eu ja perdi 2 espelhos é o cumulo, fora a má educação destas pessoas nos chamando de tia ou outro termo pejorativo…ah sou mulher ok…rss apesar do nome…

  14. Realmente a rádio é útil pois cruzo SP vindo do interior pela(Bandeirantes/Anhanguera)até São Bernardo do Campo. Há semanas tento ligar e não consigo. Notei que os âncoras frequentemente informam o telefone errado como 3453, 3473, 3543, etc.pois já gravei estes nos. no celular logo que chamam para discar. Mesmo com o no. correto só dá ocupado. Com certeza vai aumentar muito as multas e acidentes causados pelo celular.

  15. Realmente a iniciativa é ótima, so precisa do Departamento de Jornalismo ter cuidado, com a veiuculação de noticias erradas, ou com colocação errada, como o caso de hoje de manhã (tres motoqueiros asaltam taxi na marginal etc etc) o correto é tres bandidos acima de motocicletas assaltam taxi etc) vamos utilizar o portugues correto, estudou Jornalismo? então deve saber dar a noticia, e não é na Sulamerica, ja briguei com Eródoto Barbero, na Globo, que tambem é um (barbero) para dar noticias, ja falou varias veces dos motoqueiros roubaram uma sra, na av Brasil, etc , oras dois bandidos acima de uma motocicleta praticaram o assalto de uma sra na av Brasil) desa maneira a imprensa esta sugestionando a população em geral, que motoqueiro e tudo ladrão, então vamos tomar cuidado com os professionais contratados pelas emissoras, devem ser estudados e ter capacidade de lidar com um microfone com o publico, por que desa maneira estão inducindo o sub-conciente de todos os ouvintes que motoqueiro assalta – 2 motoqueiros rouban – e motoquerios quebran, não são motoqueiros e sim bandidos acima de uma motocicleta, sou a favor da consciencia e educação no transito vamos criar ferramentas ond posamos detectar os maus motoristas, motociclistas etc para educarlos ou tirar-los das ruas, mas não descriminar ignorantemente por falta de conhecimento de colocação de um portugues correto,( e eu sou espanhol ou seja extrangeiro) mas tenho ese cuidado então um jornalista deve ter por obrigação maior que eu

  16. Não é por nada não, escuto a tal “rádio transito”, e estou começando a ficar indignado com ela.
    No começo foi um achado, porem com o tempo …. Muito terrorista, informações equivocadas, estava olhando o site da CET que constava +- 180km de congestionamento, porem para a minha surpresa, fiquei sabendo que a rádio acusava + de 200km. Quem estava errado? Devo confiar na rádio ou na CET?
    Bom cada um escuta a rádio que tem vontade, porem acho bom prestarem atenção nas notícias que são passadas. Eu mesmo prefiro voltar a minha rotina e escutar a velha e boa 97FM, e o Estádio 97.
    Essa é a minha opnião.

    abs.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*