Interrompemos a nossa programação para…Uma lição e um pedido de desculpas

Escrever suas idéias, pensamentos, confidências e histórias num espaço público tem suas compensações: você conhece pessoas com as mesmas afinidades, acaba formando pequenas “comunidades” de amigos virtuais, partilha suas dúvidas e respostas… Mas existe algo que vai além disso: cada palavra encadeada em uma mensagem traz embutida em si uma responsabilidade enorme, já que, em tese, deverá permanecer disponível online por muito tempo.

O exercício de manter a coerência, a credibilidade e sinceridade do seu pensamento, além de ter plena consciência do valor da sua mensagem antes de apertar o botão “publicar”, deveria ser constante. Dependendo do seu estilo, do seu estado de espírito ou de qualquer fator externo, qualquer das palavras escolhidas por você podem ganhar força, capaz de atingir quem você menos espera mesmo sem querer.

Tanta enrolação para chegar finalmente ao ponto. Demorou, mas aconteceu o que alguns já devem ter sentido de alguma forma: apareceu por essas bandas uma pessoa cujo valor é inestimável. Num relance, encontrou um antigo apanhado de idéias deixado aqui por mim um dia desses. No meio disso tudo, apesar de não encontrar seu nome, achou algumas palavras pontiagudas e afiadas. Inevitável sensação de tristeza que não demorou para chegar ao meu conhecimento. Resumidamente, foi como se eu agisse de uma forma e, na hora de relatar, fosse outro. Resumindo ainda mais: eu sou um canalha.

Nem preciso dizer que esse tipo de reação estava longe dos meus planos. Como é de praxe, contei o milagre mas não identifiquei o santo. Imagem preservada entre os doze leitores habituais, mas não para o “santo”. Ou melhor, para alguém que se aborreceu com algumas críticas, ficou com raiva por ter lido tudo ao acaso, sem que a pedra aqui tivesse dito nada. Antes de concluir, uma arrefecida: não foi nada que pudesse ser capaz de derrubar Saddam Hussein. Apenas magoou – o que, convenhamos, não deixa de ser um prejuízo.

Aos amigos que tiveram paciência de chegar até aqui, fica a lição: cuidado ao usar as palavras, seja no blog, seja na vida. Elas podem machucar, mesmo quem você não queira quando você não quer. E não caia na esparrela de que “depois é só apagar ou desmentir”.

Agora peço licença a você para me dirigir apenas a pessoa que gerou esse texto. Sei que pedidos de desculpa não funcionam com você. Também sei que esta não foi a primeira mancada. Mas independente da sua reação, sei perfeitamente o quanto você foi, é e será importante dentro da minha existência – e isso eu posso escrever sem medo de errar!

É isso. Voltamos a nossa programação normal.

Comentários em blogs: ainda existem? (14)

  1. Pois é… acontece.Já estou tirando diploma de PhD em cometer atos como esse… Palavras malditas palavras!Ah recuperei meu blog.Humpf grandes coisa tbm né?O encho de abobrinhas já que não tenho nada de útil a escrever.Mas o teu continua show.Beijos.:@@@@@@@@@@@@

  2. ah não sei… acho que como esse é um espaço nosso nosso mundinho é fatal um dia ou outro desabafar soltar o que nos atormenta e entendo que não é pra magoar ninguém mas pra de alguma forma colocar pra fora… e essas coisas mudam um dia a gente tá assim outro tá assado… fazer o quê?Pô!!! fui a 30.0073… sacanagem rs

  3. Ihhhhhhhhh amiguinho… Se meu blog falasse!!!O “Assunto” até q é light ma ou outro blog q posto nada light… Fico na corda bamba é um blog eu posso escrever td o que quero correto? Mas não devo… Mas que dá vontade ah dá!Bjocasssssssssssss e boa sorte!!!!

  4. Aconteceu algo parecido comigo estes dias atrás. Só que foi mais grave.Meu namorado achou meu blog e viu o desabafo de um dia que eu estava meio chateada com ele. Me disse palavras ásperas que fizeram meu dia mais horrível do que já estava por causa da droga do meu trabalho…Vieram as desculpas as pazes mas sempre fica um gostinho amargo.

  5. Marmota se a pessoa te considerar irá relevar.Cometemos erros. Mas quem não comete?Boa sorte! Sentiremos sua falta hoje na festa.Ps: Ainda bem que aluguei a cabeça do meu chefinho e ele deixará com que eu entre amanhã as 14 hs (rs*)

  6. A comunição via internet naum tem troca de olhares gestos toques… só palavras escritas as quais são digeridas desacompanhadas de qualquer outro daqueles atos citados. Aí podem ter um sentido se naum diferente ao menos desviado do seu original. Assim como fiz amigos na net perdi-os da mesma forma por esse motivo. Palavras na tela parecem machucar até mais q as faladas em certas ocasiões.

  7. Não é fácil né?Mas se é uma pessoa importante pra vc provavelmente este sentimento seja recíproco e tudo fique bem desde que tudo muito esclarecido… sempre.

  8. Esse negócio de Blogar é arriscado! Uma vírgula pode fazer as pessoas entenderem errado… Nem sempre dá pra ser você mesmo na Internet. Às vezes é preciso “omitir” certas manias nossas algumas críticas gostos enfim: É muita responsabilidade! E tem que ter boa lábia e mãos pra se disculpar (a parte mais difícil da vida de um blogueiro). Um grande abraço e espero que a pessoa que ficou magoada entenda o seu lado e te perdoe! Tchau!

  9. Por isso é que eu não vou falar mal do meu chefe do plantão desse final de semana… hahaO jogo de duplas foi muito legal… e será que eu fui mesmo pé quente?

  10. Um espaço especialmente para se redimir demonstra real arrependimento. Quem leu pode sentir o teu pesar em ter errado. Deixe de lado a sensação de mal estar pois és especial por ter admitido a falha. Isso já é um grande passo para nos tornarmos melhor…Ademais não fizeste pensando no pior.Abraços beijos. Fica tranquilo.

  11. Oi Marmota…Boiei na história mas já percebi mesmo que esse negócio de blog é complicado mesmo…Espero que esteja tudo bem! Ah n tô vendo o terceiro video agora!!!

  12. Não consigo entender vocês bloggers e por isso é difícil escrever esse comentário. O que sei é que a internet mudou demais o jeito de as pessoas se relacionarem e tudo isso leva um tempo para se equilibrar. Acho louvável que o Marmota esteja contribuindo para a discussão do afeto nos tempos da conexão banda larga.Algumas pessoas infelizmente não vão muito longe na reflexão. Estão sempre presentes os genéricos “errar é humano” e “se a pessoa for legal te perdoará” que servem para qualquer situação e são muitíssimo confortáveis para quem erra.Ficarei no caso específico. A seguir um pouco do que pensei sobre a questão:As confidências sempre existiram. Porém o blogger não tem controle sobre a quem as dedica (nesse momento aproveito para agradecer a omissão do meu nome o que me protege de todos aqueles que são completamente estranhos – mas não daqueles que me conhecem mesmo que superficialmente).Se mostrar publicamente de uma forma e ser uma pessoa diferente nos bastidores é outra coisa que sempre existiu. Mas os “bastidores” do blogger desprevenido são públicos apesar de pouco visitados – para o alívio de suas vítimas!Gato escaldado não entrar em fria novamente é algo sempre existiu e continuará existindo. Assim como o namorado da Marcia daqui para frente considerarei sempre que minhas conversas com o Marmota podem “estar sendo filmadas” para posterior publicação em seu blog. É cedo para saber o quanto isso comprometerá nossa amizade. Talvez muito talvez nada. Por sorte o Marmota é realmente um amigo e tanto. Mas… alguns bloggers podem não ser tão especiais e esses devem tomar mais cuidado com seus mundinhos – que provavelmente se localizam num raio de 10 centímetros dos próprios umbigos (“fazer o quê?”)Agora peço licença a você para me dirigir apenas a pessoa que gerou esse texto. Você me surpreende e emociona. Como não entendo o bloggers não sei o quanto pode ter sido difícil para você expor essa sua enorme “errata” (2591 toques!) na primeira página. Independente disso se pedidos de desculpa não funcionam comigo atitudes como essa funcionam. Conclusão: estou aberta a novas mancadas de sua parte. Novas mancadas certo? Não me venha com mancadas repetidas…Só não exagera tá?

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*