Inquérito musical pegaquinomeupé

Atendendo ao pedido do Alexandre Sena, seguem minhas respostas para mais esse questionário proliferativo da série “ajude a espalhar o meme” (o Inagaki também escreve sobre o tema). Trata-se do “inquérito musical” – e fico feliz que o assunto tenha sido esse, e não aquela sequência de perguntas luso-literárias. Não sei o que pensariam de mim se eu dissesse que estou lendo o livro do Homem Chavão.

Volume total de músicas no meu computador:

Pouco. Não chega a dois gigas. Primeiro porque não tenho banda larga em casa. Segundo, ainda tenho muitos CDs, e o processo ainda é arcaico – as trilhas sonoras produzidas pela Barba Ruiva Records (co-empresa ligada à Marmota Television), criadas a partir de arquivos MP3, são feitas para os tocadores de sempre. Questão de alguns anos para isso mudar.

O último CD que eu comprei:

Na loja: How To Dismantle An Atomic Bomb, U2. Muito bom. Na rua: Banda Décadas. Vi os sujeitos tocarem na Avenida Paulista, em frente ao conjunto nacional, e aceitei a oferta: dez pilas por um CD. Bacana.

Música tocando no momento:

A essa hora, apenas o barulho do teclado do computador. Mas o micro-system do quarto está rodando nos últimos dias um CD que ganhei de presente do MarcosVP: São Paulo Confessions, Suba. Um som perfeito para o ambiente, e diferente de tudo que já ouvi, trata-se de uma homenagem do músico, falecido em 99 (morreu num incêndio em seu apartamento), a cidade onde viveu boa parte da sua vida.

Cinco músicas que eu tenho ouvido bastante nos últimos dias:

Boulevar of Broken Dreams, Green Day – Entenda a expressão “últimos dias” como sendo “últimos meses”: como toda música, ela passa despercebida por muitos, mas com outros (como acontece comigo) a música pega, puxa uma série de sensações, faz o pensamento viajar espontaneamente.

Um Minuto Para O Fim do Mundo, CPM 22 – A questão é clara: músicas que ouço ouvindo bastante. Como só ouço FM quando estou em trânsito, essa é batata: alguns acordes e um vocalista esforçado diz “me sinto só”… Segundos depois, altera seu comportamento e grita “toda sua vida em 60 segundos”… Aí muda o ritmo da música e continua: “quando estou com você, sinto meu mundo acabar”… A essa altura, já troquei de estação.

Can You Feel It, Jean-Roch – Outra encrenca me persegue. Só descobri o nome da música e da “cantora” (?) quando fui atrás do CD Summer Eletrohits (que também tem a versão original da festa do apê). É uma versão dançante e acelerada de Going the Distance, da trilha sonora de Rocky, O Lutador…

Um Mais Um, Skank – Parece que esse é o chiclete do momento – não apenas pela procedência, mas também por ser tema de novela. Cá pra nós, nem é das melhores letras e mais empolgantes canções da banda mineira. O novo CD saiu recentemente – ainda não ouvi, mas não sei se virá tão sensacional quanto Cosmotron.

How Soon is Now, The Smiths – Quase uma exceção a regra: essa eu baixei para usar na trilha de um vídeo caseiro que pretendo finalizar até o Natal. De 2018. E não canso de ouvir. Aliás, além do casal (que não é casal) Tatu, outra banda regravou essa música (ouvi recentemente na 89, não sei de quem se trata).

Cinco pessoas para quem eu passo o inquérito:

Não vou obrigá-los a responder, evidentemente. Mas tenho certeza de que o MarcosVP e a Sabrina, especialistas no assunto, responderiam com o maior prazer. O mesmo certamente acontece com os aficcionados Adilson, o Inagaki e o Ian Black (que vão ganhar uma cópia do CD do MarcosVP, como prometi). E se você achou o inquérito musical bacana, pegue a batuta você também!

André Marmota dialoga muito com o passado, cria futuros inverossímeis e, atrapalhado, deixa passar algumas sutilezas do presente. Quer saber mais?

Leia outros posts em Alô Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (8)

  1. Não seria mais fácil todo mundo instalar o Audioscrobbler (www.audioscrobbler.com) e assim saberíamos tudo sobre o que cada um ouve? :)

  2. Eu tb vi essa banda na Av. Paulista (foi sábado no início da noite, se não me engano), mas assisti uns míseros 2 minutos +/-, pois eu estava à caminho do estúdio para ensaiar.
    Mas pelo que percebi, o som deles parece bem alegre, sem contar que p preço que vc falou que pagou no CD é quase de presente!

    Abraços

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*