Hoje ganhei o Troféu Joinha!

Quem conhece futebol já ouviu falar da Portuguesa. Um time com pouco apelo entre os torcedores paulistanos (com todo respeito aos poucos fanáticos rubro-verdes), mas que merece destaque na mídia esportiva, mesmo após o rebaixamento para a segunda divisão nacional no ano passado. Pois bem. Nesta segunda-feira, a diretoria do clube apresentou à imprensa o técnico que ocupará a vaga de Luiz Carlos Martins, que pediu demissão na sexta-feira passada.

Ao chegar no Canindé, pontualmente às duas da tarde, cumprimento alguns colegas de imprensa e, entre uma frase e outra relacionada ao nosso maravilhoso mundo jornalístico, um esforço coletivo para resgatar a história de Heriberto Cunha, o novo treinador. “Se ele passar aqui, não vou saber”, disse um. “Nem eu”, respondeu em uníssono os demais. Naquela altura, a apresentação, marcada para as duas, já tinha atrasado.

Minutos depois, o assessor de imprensa da Portuguesa nos entregou um informativo, com toda a carreira do treinador. Logo na primeira página, em letras garrafais, seu nome completo: Heriberto Longuinho da Cunha.

Se você for um sujeito perspicaz, percebe que o segundo sobrenome do treinador pode render alguma brincadeira. Até a apresentação se consumar, por volta das três e meia, deu tempo de sobra para todos especularem a respeito disso. Coisas como “Longuinho vai sair daqui loguinho”. Até que eu solto um “São Longuinho do Canindé”. Logo alguém lembrou que este é o santo das coisas perdidas, como o Negrinho do Pastoreio no sul.

“Ah, mas não vamos perguntar sobre o Longuinho, não”, concluímos. Nem precisamos. Durante a entrevista coletiva, o repórter da Globo, conhecido por ser um dos mais engraçadinhos da TV, fez o serviço. Para ele foi fácil: como estava em Recife até o mês passado, conhecia bem Heriberto Cunha, que antes de chegar à Lusa, comandou o Náutico, time daquela cidade.

Pronto! Todos que estiveram na apresentação poderiam usar (ou não) a brincadeira do Longuinho em seus respectivos veículos. De minha parte, assinei esta pérola, que reproduzo a seguir.

Futebol/Brasileiro Série B – (18/08/2003 19:12:31)
São Longuinho no Canindé para encontrar a vaga
André Rosa

São Paulo (SP) – Muitos católicos estão acostumados a pedir ajuda a São Longuinho, dando três pulinhos para encontrar objetos perdidos. Agora é a vez da torcida lusitana mostrar sua devoção, rezando para que outro Longuinho encontre a classificação que, por enquanto, parece perdida. Trata-se do novo técnico da Portuguesa: Heriberto Longuinho da Cunha.

‘Herdei este nome do meu avô, no futebol fui conhecido por Heriberto Longuinho’, lembrou o técnico, que também aposta na sua fé e na dos torcedores para garantir uma vaga na próxima fase da Série B. ‘Vamos dar os três pulinhos para reverter o quadro negativo’, completou.

Mas o ‘São Longuinho’ do Canindé não vai procurar a classificação sozinho. Heriberto conta com apoio o elenco, bastante elogiado por ele após sua apresentação. Da parte dele, não deve faltar empenho. ‘Gosto de trabalhar motivando os jogadores’. Ele destacou ainda as presenças de Capitão, Sérgio Manoel e Muller. ‘Além de experientes, são jogadores de muito caráter. Vai ser muito importante passar maturidade aos jogadores mais novos’.

As orações e o trabalho em busca de 14 dos 18 pontos possíveis nesta primeira fase começam nesta sexta-feira, diante do Avaí, no Canindé. ‘Jogamos contra eles quando estava no Náutico, é uma equipe muito rápida. Vamos trabalhar desde já pensando nessa partida’.

O verdadeiro São Longinho era contemporâneo de Jesus Cristo, identificado pela Igreja Católica como o soldado que perfurou Jesus com uma lança e se converteu após ter sido curado de uma grave doença nos olhos. A história de Heriberto Longuinho é outra: ex-jogador da Portuguesa, com passagens pelo São Paulo, Atlético/MG, Cruzeiro e Santos, trabalhou como treinador ao lado de Nelsinho Baptista, Carlos Alberto Parreira e Dario Pereyra. ‘Foi uma escola muito boa’.

Fazia tempo que eu não usava esse lado descontraído em serviço. Além de me tornar candidato ao Troféu Joinha por esse texto imprescindível na vida de qualquer mortal.

André Marmota dialoga muito com o passado, cria futuros inverossímeis e, atrapalhado, deixa passar algumas sutilezas do presente. Quer saber mais?

Leia outros posts em Outros. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (2)

  1. Trofeu Joinha, merecidissimo.Obrigada pelo comentário no meu blog! Eu sou realmente a prima da Valéria. Ela está voltando, vc sabe né?atÉ+ – Seus posts são cômicos!Fernanda*

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*