Hoje é o seu dia, meu amigo!

Existem datas comemorativas que só existem para lembrarmos que nossa vida tem tudo para ser um inferno diário… Mas é possível, ao menos uma vez por ano, homenagearmos aqueles que são importantes. E hoje é o dia de nos rendermos a uma das poucas coisas do mundo que se multiplica quando dividirmos: a amizade. O 20 de julho é dedicado as únicas pessoas em que podemos responder, com sinceridade, a pergunta “tá tudo bem?”.

Mas você sabe porque convencionou-se a data de hoje como o dia do amigo?

A data coincide com a chegada da Apolo 11 em solo lunar, em 1969. Apesar da corrida espacial servir como pano de fundo para a Guerra Fria, o feito de Neil Armstrong e seus companheiros também teve um lado “pollyanna”: a célebre declaração “um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade” pode ser interpretada como a busca por um mundo sem fronteiras, onde a união dos povos – independente de raças, ideologias ou religiões – seria fundamental para a conquista dos nossos objetivos.

Tal interpretação foi concebida por Enrique Febbraro, dentista, professor e músico argentino. O pai do Dia Internacional da Amizade levou décadas para fixar essa data. Tanto que, após a II Guerra Mundial, em 1945, Febbraro tentara estabelecer a fundação da ONU como marco. Não deu muito certo, já que a data remete a violência e atrocidades diversas. Esperou mais 24 anos por um fato que simbolizasse a amizade universal.

Enrique Febbraro começou ali uma cruzada mundial em torno de seu sonho – a começar pela Província de Buenos Aires, que instituiu a celebração através do decreto nº 235/79. Não demorou para que outros países abraçassem a idéia: hoje, cerca de 100 nações comemoram a data. A iniciativa rendeu ao professor Febbraro duas indicações ao Premio Nobel da Paz.

Pois é, minha gente: o Dia do Amigo foi idealizado por um “amigo argentino”…

Mas enfim. Sua luta a favor da amizade rendeu uma excelente resposta para um problema bastante atual: como encontrar um amigo de verdade? “Es fácil, porque no se lo ve, se lo siente. Mi amigo es mi maestro, mi discípulo y mi condiscípulo. El me enseña, yo le enseño”.

Aproveitando a deixa, hora de registrar meu agradecimento: mesmo que as vezes não pareça, saiba que é muito bom ser seu amigo! Faço minhas as palavras de um deles, o Rodgers Sabbaths: “esse dia não serve só para lembrarmos dos amigos que temos, mas sim para refletir e ver o quanto é importante termos amigos, conhecer pessoas nessa vida”.

Feliz dia do amigo!

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Fique por dentro. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (11)

  1. Puxa, Marmota. Não somos exatamente amigos. Mas existem portas abertas, não é? Adorei o post! Feliz dia do Amigo pra você também. Com certeza, para os seus amigos é um dia feliz!

  2. Cara, como um argentino pode ter inventado o dia do amigo, se ninguém quer ser amigo de um?

    De argentino eu só aceito alfajor e olhe lá. E ainda tenho minhas dúvidas se os uruguaios não são melhores… hehe.

    Felicitações, meu nobre.Alvíssaras e rejúbilos.

  3. Amigo Marmota,
    Quando a palavra amigo vem acompanhado de qualquer outra palavra que não seja o nome do amigo, o efeito pode ser inverso: amigo cão, amigo urso, amigo traíra, muy amigo…

    Os amigos de verdade se fazem presentes mesmo quando ausentes.

    Feliz dia do amigo (atrasado) Amigo Marmota!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*