Globlogger: depois do porre, a ressaca

Esses dias meu amigo DilmarX veio a mim com uma constatação: tudo indica que a onda blog esfriou. Visitas caindo, leitores diminuindo, blogueiros desanimados. Entre tantas causas possíveis, uma me parece evidente: as constantes mudanças do Blogger Brasil, responsáveis por turbulências e debandadas do até então mais popular ferramenta do gênero no país.

Foi como distribuir pirulito para a garotada e, aos poucos, começar a arrancar da mão. Confesso que gostava daquilo no início: o globlogger era um dos poucos que permitiam upload de imagens e personalização total do template. Isso sem falar na tremenda exposição na mídia, com direito a personagens de novela das sete blogando, ou mesmo no fenômeno “Blogs of Note”, atiçando o desejo humano em se tornar “celebridade” instantânea e arrebanhar novos visitantes – e blogueiros, por consequência.

Aos poucos, o calo foi apertando. Pulei fora do marmota.blogger quando as instabilidades superavam os momentos felizes, bem antes da Globo restringir novos cadastros apenas para assinantes. No início do mês, os globloggers foram surpreendidos com um limite máximo de 10Mb, sob pena de execução sumária – decisões que me fazem crer que seus servidores chegaram ao limite máximo. Tudo temperado com trapalhadas como o bloqueio a estrangeiros (por conta de “sucessivos ataques de vírus”), ou a curiosa história da Alê Félix, a primeira blogueira a sair no Blogs of Note com seu domínio próprio, ser retirada da lista na mesma semana e ter sua conta deletada.

O resultado? Dê uma navegada nos bloggers ponto com ponto br mais respeitados e admirados pelo nosso povo. Sobram reclamações, especulações e principalmente preocupações ao estilo “salvem-se quem puder”. Olhando de fora, só me resta torcer para que a ressaca pós-porre de blogger acabe logo. Além, é claro, de reforçar o coro: se você se importa com os seus arquivos, dê um jeito de salvá-los em seu computador.

E mais:

– Quer saber como fazer para guardar seus arquivos? Você pode simplesmente salvar as páginas completas em seu computador, por segurança, para preservar seus textos. Outra opção é seguir estas dicas preciosas do Ivan Freitas. Por fim, caso você decida bancar o seu blog e mudar para o Movable Type, prefira o infalível método de exportação para o sistema.

– O globlogger já foi bom, mas não é o único. Além da popular versão internacional, experimente uma dessas ferramentas e prepare a mudança: o novíssimo UOL Blog (ainda patinando no sistema de importação de posts e nos templates fixos), o bom e velho Blig (ainda gratuito, ao contrário do hpg) ou o velho Weblogger (mas prepare-se para ficar horas fora do ar). Ainda tem o avançado The Spoke (voltado para "programadores" da Microsoft), o interessante Blogdrive, o britânico 20 Six ou, de repente, o exótico (e coreano) Yahoo Blog.

– Sem falar, evidentemente, na promissora iniciativa do BlogBrasil – tinha que ter o dedo do mestre Fábio Sampaio nisso…

E ainda mais:

– O verbo blogar já rendeu o derivado fotologar, tanto em inglês quanto em português. Está pintando agora o teleblogar – ou simplesmente moblogar, quer dizer, enviar textos e imagens do celular direto para o blog.

– Enquanto isso, em Portugal, já está à venda o Diário de Bordo para blogueiros, escrito por Antônio Granado e Elisabete Barbosa. Por que será que existe tanta gente refletindo sobre o assunto em Portugal – sem falar na superioridade na audiência – enquanto que, aqui, parecemos estar todos de ressaca?

– Comecei afirmando que a “onda blog esfriou”. Poderíamos começar um debate de outro ângulo: que estamos diante do destino natural para a maioria dos blogs, que não passam de um “monte de palavras sem controle e egocêntrico, a verdadeira decadência da web”, como pincelou certa vez Félix Felícato. Pessoalmente, mesmo se no futuro restarem apenas meia dúzia de três ou quatro, sou mais o Hernani Dimantas: seguimos cada um com nossas vidas, lembrando sempre que a rede não são apenas computadores, mas também pessoas.

– Falando sobre “meia dúzia de três ou quatro”, Alexandre Soares Silva destaca a matéria da revista Primeira Leitura, sobre blogs que vão além do simples “meu querido diário” aborrecente e partem para discussões, debates e pensamentos. Tá vendo como tem espaço pra todo mundo?

– Por fim, texto pinçado lá do Fábio: “When journalists blog, editors get nervous”. Xiii…

André Marmota adora usar a função “rand” do PHP, combinada com um array repleto de frases diferentes. Paaaaarabéns! Quer saber mais?

Leia outros posts em Bloguiado. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (5)

  1. putz, cara, o blogger já me obrigou a apagar boa parte dos meus arquivos… apaguei o meu diário do passado! abraços e bom Carnaval!!!

  2. Post maravilha. Obrigado palas dicas para viver este divórcio involuntário com a blogger.br. Já estava afeiçoado e aconselhava a blogger mas este 2004 foi o diabo a sete. Digo-vos que essa dos «estrangeiros» tocou-me de perto (e a mais uma boa dúzia de alunos – que irritação!! – que começaram de novo na http://www.blogos.sapo.pt e etc.). NOTA 1: usei e citei o seu jogo de futebol.swf. Vai ser sucesso. NOTA 2: vou citar e linkar este seu post: é mt importante para futuros ex-bloggers.br

  3. Post maravilha. Obrigado palas dicas para viver este divórcio involuntário com a blogger.br. Já estava afeiçoado e aconselhava a blogger mas este 2004 foi o diabo a sete. Digo-vos que essa dos «estrangeiros» tocou-me de perto (e a mais uma boa dúzia de alunos – que irritação!! – que começaram de novo na http://www.blogos.sapo.pt e etc.). NOTA 1: usei e citei o seu jogo de futebol.swf. Vai ser sucesso. NOTA 2: vou citar e linkar este seu post: é mt importante para futuros ex-bloggers.br

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*