Eu quero é virar jeca!

Como se não bastasse trabalhar numa área saturada, que pasta diariamente para acabar com a fase de vacas magras, ainda somos surpreendidos com situações como a demissão de Jorge Kajuru da Bandeirantes.

Você pode até não gostar do jeito dele, ou mesmo não dar bola pra essa história, por conta de situações passadas mal resolvidas. Também tenho minhas restrições. Mas vamos aos fatos, declarados pelo jornalista em sua carta de despedida da Band. No dia do jogo Brasil x Argentina, Kajuru apresentava seu programa direto do Mineirão, palco do jogo. Diante dele, torcedores revoltados por conta do péssimo esquema de venda de ingressos.

Mais do que isso: 10 mil lugares estavam reservados a convidados da CBF e do Governo de Minas. Eram artistas, políticos e outros convidados. Todos entravam no Mineirão pelo portão destinado aos deficientes físicos – que por sua vez eram barrados. Durante alguns minutos, o apresentador mostrou toda a situação indignado, entrevistando torcedores que malhavam os responsáveis.

“Às 20h30min, quando me dirigia a um torcedor na cadeira de rodas, que apontava uma carteirinha e, aos gritos, dizia que era uma lei federal e que ele deveria ter prioridade para entrar, eu disse: Mais um conflito que você vai ver logo depois do 1º intervalo do Esporte Total!. Conclusão: até agora não voltei!”, diz Kajuru, na carta. Na semana passada, a demissão – não se sabe se por ordens políticas ou simplesmente precauções da empresa.

Mas não importa. O polêmico apresentador fez aquilo que todo profissional deveria fazer numa situação dessas: saiu sem deixar mágoas ou falar mal da ex-empresa. “… Deixo a minha compreensão de que mundo econômico é assim mesmo: um conflito permanente da liberdade de imprensa, neste Brasil mais chegado à liberdade de empresa e de autoridade”.

Enquanto isso, a maioria mostra “juízo” e apenas obedece – afinal, para cada vaga aberta, existem centenas de desempregados. Já estou vendo meu futuro próximo em uma pequena cidade do Rio Grande do Sul, plantando milho e criando galinha: é bem menos desgastante.

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Plantão Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (14)

  1. Estádios vazios, campeonatos nivelados por baixo…O futebol perdeu muito do seu glamour hoje em dia. Mas o que será que nos espera no dia de amanhã. Tenho esperanças…

  2. “É isso aí, orgulhosamente volto a ser pobre, feio, mas pelo menos magro.”

    Essa foi foda! hahahaha

    Abraços!

  3. O Kajuru paga o preço por ter opinião e ser ético e desbocado. Na minha opinião, a grande sacada é: “Vai faltar emprego pro Kajuru?” Penso que não. O que mais tem no Brasil é espaço pra gente séria.

  4. O Kajuru fez o que tinha que fazer publicamente mesmo, que é não se mostrar derrotado por uma atitude tão mesquinha vinda da direção da Band. Mas, com conhecimento de causa, posso dizer que sair de um lugar injustiçado sempre deixa muita mágoa, por mais que não se demonstre.

  5. jorge kajuru disse e mostrou a verdade, quem pediu a cabeca dele foi o gov. aecio neves e o presidente da cbf.

  6. QUANDO O JORNALISTA GRINGO,FALOU QUE O NOSSO PRESIDENTE ERA CACHACEIRO…E CORTARAM A VISTO DELA FIZERAM O MAIOR ESCANDALO, AGORA QUANDO CENSURAM UM JONALISTA NACIONAL, DE MOSTRAR A SACANAGEM QUE ESTAVAM FAZENDO COM OS DIFICIENTES, NIGUEM FALA NADA!!!!!!!!!

  7. Espero vê-lo em breve no ar, pois, acredito ser hoje no brasil, o melhor apresentador esportista de coragem e personalidade.
    Desde que saiu da band nunca mais assistir o esporte total,pessoas como você infelizmente em nosso País não conseguem ficar muito tempo no ar dizendo a verdade.Sinto muita saudade de figura humana, espero que volte em breve nas telinhas. ABRAÇOS de um admirador.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*