E o Delicious f***deu com as minhas “paradinhas”

Eu devo ser um dos cinco ou seis usuários apaixonados pelo Delicious, aplicação online que compartilha bookmarks e monta uma espécie de “agenda setting”, mostrando os links e palavras-chaves mais populares. Desde 2003, o sisteminha ensina aos usuários como é divertido postar links, descrevê-los e atrelar tags a eles – a minha preferida, que pincei numa coluna do Diário Gaúcho, chama-se “mundoidao”.

Feliz com a estabilidade e facilidade do Delicious, adotei-o como “compartilhador oficial” deste blog, reproduzindo minhas leituras (ou quase) numa área denominada “rapidinhas” – nominho vagabundo que usava em meu antigo endereço para atirar uma tijolada de links em momentos de crise criativa.

As “paradinhas”, como também são chamadas por aí, eram sem sombra de dúvidas a área mais atualizada do blog – e que certamente, numa futura mudança de template, ganharia destaque logo na primeira rolagem de tela. Mantive esse parágrafo num condicional por conta de uma grata (ou não) surpresa que tive nesta quinta-feira…

Desde que o Yahoo comprou o serviço, em 2005, não havia qualquer melhoria. As mudanças, inclusive, haviam sido anunciadas há mais de ano, a ponto de se transformarem em lenda urbana. Enfim, durante a semana, os usuários foram avisados sistematicamente: “guardem seus logins e senhas, porque vocês vão precisar…”.

Finalmente, nesta quinta-feira, o novo delicious.com (sim, aposentaram o bom e velho del.icio.us) chegou com mudanças visuais (nova interface, menu reorganizado, funções mais dinâmicas envolvendo as tags). Há também, ao que consta, alterações na infra-estrutura: em tese, a plataforma deve ser mais rápida.

Toda mudança é bem vinda… Mas como ficam as minhas “rapidinhas”?

Ao contrário de outros usuários, que replicam os links utilizando versões molezinha (como o código javascript pré-pronto), eu tinha uma exigência: colar as informações no código HTML (mas não da forma porca como se vê por aí, reunindo os links do dia em posts inteiros). Certo dia desejei boa tarde ao Sr. Edney e ele resolveu o meu problema, bolando um código PHP que aproveitava o feed HTML gerado pelo Delicious (no meu caso, del.icio.us/html/marmota).

Nesta quinta, a URL acima apontava para um redirecionamento muito louco. Que, por sua vez, provocou um “auto-refresh” em todas as páginas do blog, durante toda a tarde – era como se cada usuário nem esperasse a página carregar e atualizasse seu conteúdo. Bizarrice total.

Enfim, passei algumas horas procurando o feed HTML do novo Delicious, mas ainda não achei. Assim que souber de algo (provavelmente até o próximo Corpus Christi), as boas e velhas “paradinhas” voltarão. Até lá, guardem este endereço: delicious.com/marmota.

Atualizado: Obrigado, Pedro e Rodrigo, pelo gentil retorno! Na verdade, não era bem isso que eu precisava, mas sim o feed HTML – que os babacas do novo Delicious simplesmente deletaram, sem perguntar aos usuários. Claro que os manés dificilmente vão reativar a bagaça… A única alternativa disponível é a versão JavaScript. Imbecis.

André Marmota pode perder um grande amor, um amigo de longa data ou uma oportunidade de trabalho... Mas não perde a piada infame. Quer saber mais?

Leia outros posts em Curtas. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (7)

  1. É difícil te imaginar sem criatividade, com um texto deste, estas possibilidades que o RSS nos dá é uma mão na roda, eu tô curtindo muito as ferramentas do wordpress, me poupa um trabalhão analisando comportamento de usuários. De vez em quando pinta umas ferramentas interessantes de SEO na net também mas o delicious é unanimidade, ou quase.

  2. Tomara que tenha como trazê-las de volta. Tuas rapidinhas já se tornaram referência para muita gente! :D
    (pelo menos enquanto isso tem como seguir acompanhando pela interface do del.icio.us :P – aliás, delicious sem os pontinhos fica muito sem graça! :/)

  3. Pompons no ar! As paradinhas voltaram! Agora ficaram até mais levinhas por conta da fonte, acho. ;)

  4. putz! eu tb usava isso, mas agora deixei as rapidinhas no feed rss (integradas ao feedburner). Não notei ainda como se comportará, mas interessante que a solução q vc tinha era bem a q eu precisava…

    abraços,

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*