Como comentar os comentários?

Há algumas semanas, o Guilherme Gusmão descobriu um texto em meu endereço antigo, sobre pseudônimos. Mas mais relevante que sua opinião sobre o tema é o que ele registra no fim.

O pseudônimo é uma coisa legal e até saudável, do ponto de vista literário principalmente, desde que não traga escondido por trás de si intenções nefastas e prejudíciais ao outro. O pseudônimo teve seu uso “alargado” graças a web, mas não perdeu seu deslumbre literal!

PS: Gostaria que comentasse (respondesse) seus comentários, acredito que essa atitude é interessante, pois, no mínimo, faz a pessoa voltar uma vez mais ao blog. Mais importante porém é o fato do leitor/visitante sentir-se parte do post, em contato com quem escreveu. Rola uma interação!

Acho que todos aqui concordam com o Guilherme, certo? O que ele talvez não saiba é que eu respondo sim… Mas talvez de uma forma bem longe do que é considerado a mais interessante. Toda vez que tenho algum tempinho sobrando (o que nem sempre acontece), trato de responder por e-mail. Mas não todos: escolho aleatoriamente, ao mesmo tempo em que desconsidero aqueles que não precisam de retorno algum (“puxa, que bacana o seu blog, visita o meu também!”).

A primeira vez que parei para analisar essa postura foi quando a mestra Laura Storch levantou essa bola – justamente após um e-mail meu.

Poderias me dizer, extra-oficialmente... Porque você não responde os comentários no próprio blog, e sim, por e-mail? Isso é tão curioso... Preciso concordar que é uma forma muito mais simpática sim! Apesar de eu ainda achar que o blog perde um pouco com isso...

Além de detalhar aqui as justificativas que dei a ela, evidentemente convido você a concordar ou discordar com elas:

– Se eu não utilizasse o e-mail, certamente responderia no próprio post, como muitos já fazem. Apesar da prática ser comum, eu não tenho certeza de que a pessoa vai voltar no mesmo texto para ver a resposta. Ao mesmo tempo, existe uma porção de comentários que, definitivamente, não há o que responder.

– Outro ponto, e talvez o mais relevante de todos: ainda não consegui administrar minha pregui… Ops, minha falta de tempo. Se eu assumisse o compromisso de responder aos comentários no blog, dificilmente atenderia a todos – como acontece hoje. Sempre vai ter alguém enciumado, questionando “por que o meu comentário não tem resposta e o dele tem?”.

– Sei ainda de um artifício técnico: o “receba por e-mail os outros comentários desse texto”, também comum. Nesse caso, fica a critério de quem comenta acompanhar (ou não) a discussão – em caso afirmativo, basta o autor do blog comentar também e pronto! Mas o cururu nem sempre vai optar por isso – ou pior, vai receber todos os outros comentários simplesmente por ter selecionado, sem querer, a tal opção.

– Por isso, além de ser uma garantia de contato positivo (o máximo que pode acontecer é o sujeito ignorar a mensagem), o e-mail também possibilita uma resposta personalizada. Até porque, dependendo do comentário, a resposta não interessa a mais ninguém.

– Tenho certeza de que você conhece ao menos um “debatedor profissional”. Aquele cara inteligente e sagaz, disposto a derrubar um a um todos os seus argumentos, provocando um debate acalorado em sua área de comentários. Tem bastante gente que adora isso, e muitas vezes até me divirto junto. No meu caso, prefiro conversar a sós com o sabe-tudo.

– Por fim, um e-mail é uma forma muito mais simpática de agradecer a visita e de aproximar os visitantes. Dá um tom bem mais autêntico, sem intermediários. Sem contar a melhor parte: a de poder encontrar a turma que frequenta este espaço pessoalmente!

Para ilustrar, vou tomar como exemplo o registro da Tânia Meneses, que achou um texto sobre o Homer Simpson e deixou o recado que reproduzo a seguir. Vai dizer que você também não escreveria um e-mail para agradecer e concordar?

É verdade, como tudo está de uma forma difícil de interpretar neste mundo. Todos amam Simpson, inclusive eu. Estranho é, mas por que será que estamos vendo as coisas ao contrário? Tentando dizer algo, ousaria acrescentar aqui que o personagem se torna íntimo e querido justo porque é igual ao que temos em casa, quem sabe trata-se de uma forma de o absurdo tornar-se astro, obter fama. A fama do que jamais teria fama no passado, algo que escondíamos da sociedade e agora encontramos a danada da sociedade aprovando coisas que renegavam, mas que se encontram no seio de suas famílias.

Enfim, e você, como trata os visitantes do seu blog?

André Marmota fala, lê e escreve razoavelmente em português castiço, engrish macarrônico e portunhol com legendas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Alô Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (19)

  1. Eu gosto de responder a todos no blog, mesmo q demore a fazê-lo. Acho q a interação fica mais aberta. Mas concordo que pode requerer um baita tempo, se vc é chegado a deconstruir argumentos, etc. Entretanto, muitas vezes algo q eu respondo a uma pessoa, um terceiro lê e acrescenta um ponto-de-vista interessante, diferente ou inovador, e aí se a resposta é só por email, há uma perda geral. Se a pessoa quiser continuar a discussão por email, td bem, deixo em aberto a opção. Mas no geral, prefiro que todos que passem por ali leiam e participem juntos. É o meu jeito pessoal de encarar um bate-papo virtual.

    Mas é uma opção. Tem gente q não responde nada, outros por email, alguns respondem tudo detalhadamente. Isso aliás é o legal da internet, pq ela reflete a grosso modo como as pessoas interagem com as outras na vida real. Acho q a forma como vc responde comentários diz muito da forma como vc interage na vida real com as pessoas. E não há certo ou errado: há apenas o diferente, a diversidade humana.

    Cabe finalmente a cada um identificar essas sutilezas e participar do blog q mais lhe apetece.

  2. Opa André!

    Primeiro de tudo, um sincero ótimo 2008 pra você :-)

    Sobre como tratar as conversações no blogue eu já escrevi, incrivelmente, 3 vezes… já já mando um trackback pra cá…

    Mas basicamente respondo por e-mail e deixando uma cópia do mesmo abaixo do comentário original…

    Obviamente que se você recebe dezenas de comentários por dia, isso se torna completamente inviável (e este não é o meu caso!).

    Os motivos de fazer assim são:
    1 – Deixar um logue das conversações.
    2 – Avisar ao leitor/comentarista que sua participação não só foi apreciada como também foi dada devidamente a recíproca atenção.

    Embora seja um copiar e colar da resposta feita (no e-mail ou no formulário de comentários) dá um pouquinho de trabalho… mas quem foi que disse que um mundo melhor não tem que dar trabalho :-)

    abraços

  3. Como eu me comunico com meus leitores…Ou respondendo ao meme do Bruno Alves!

    Na verdade esta pergunta já foi respondida por mim, duas vezes :-) Então para nos poupar do re-trabalho siga os seguintes apontadores:

    Primeira vez que respondi!
    Segunda vez que toquei no assunto!

    Co…

  4. Droga, teus argumentos para responder por e-mail são bons ¬¬ :P Mas será que não existe uma forma de encontrar um meio termo? Algo como… responder aqui E enviar cópia por e-mail? :)

    Como eu faço: costumo responder no próprio blog, partindo do pressuposto de que, se a pessoa quer realmente uma resposta ao que ela disse, ela irá voltar lá para acompanhar a discussão :P Mas, sempre que considero necessário, também encaminho a resposta por e-mail [raramente faço isso :/]. Já aconteceu também de responder apenas por e-mail, e o comentador voltar ao post para dar sua tréplica no blog – o que tornou a discussão um tanto sem sentido, porque ficaram duas argumentações, sem o questionamento no meio :P

  5. Interessante… eu estou implementando um sistema de respostas no meu (futuro) blog, parecido com o que o Kawakami usa no blog dele(Escrita Torta em Linha Reta). Não descarto a necessidade de respostas individuais via email, entretanto, mas para dúvidas triviais que se repetem comentário após comentário, é mais rápido e ágil responder ao primeiro questionador e evitar o resto.

    E mais uma vez eu transformei meu comentário em um minipost…

  6. Costumo responder aos comentários em meu próprio blog (inclusive porque os leitores lêem os outros comentários e, muitas vezes, acabam tendo as mesmas dúvidas ou questionamentos de algum comment anterior). Em casos específicos, reencaminho a resposta que deixei no post por e-mail também. Creio que isso resolve a questão, mas é o tipo de dúvida cuja solução varia muito de acordo com a natureza do blog da pessoa.

  7. Curti o Post! Eu vivo recebendo reclamações por não responder a todos os comentários…
    Mas acho mais trabalhoso até responder como vc… Por email… Visto que o WP não facilita isso.
    Então respondo no bog mesmo aos que consigo! :D

  8. Como tratar as conversações que se estendem nos blogues?A questão de como tratamos os leitores que comentam nos nossos blogues vira e mexe volta a baila (o que é bom, diga-se de passagem)… o André Marmota retoma a questão nesta entrada.

    Obviamente que a resposta vai depender de quantos comentários você…

  9. Usualmente, respondo comentários por email. Eventualmente, respondo no blog, quando a resposta pode interessar a outros ou quando pode parecer, aos demais leitores, descortesia não responder (claro, eles não sabem que eu respondo por email). Essas respostas públicas eventuais ainda servem como reforço positivo aos demais comentaristas, eu acho.

    Às vezes, ainda envio por email a mesma resposta deixada no blog, já que nem todos usam o “subscribe to comments”.

    Salada mista, hein?

  10. hahaha, aquela guria é um quadro, né!?
    (desculpe, conversa interna)…

    Ah, um maravilhoso ano novo pra vc tbm… Vá que vc não volte ao post no meu blog!! :)

    Pois é… Tem dessas coisas, isso dos comentários: às vezes as pessoas não retornam pra ler suas respostas ou os comentários de outras pessoas (seu primeiro ponto nas justificativas).

    Concordei com seus argumentos naquela vez, e continuo considerando-os válidos… Ainda assim, me frustra um pouco o fato de os comentários – fundamentais na estruturação dos blogs – não conseguirem cumprir sua função: a de conversação… Afinal, é isso que a resposta por e-mail tira do blog – apesar de concordar muito no fato de ser mais simpático.

    Algumas ferramentas permitem que o usuário acompanhe as interações nos comentários que realizou (o WP é um exemplo), existem Feeds pra comentários e etc. Mas ainda são precários os recursos no que compete aos nossos estimados comments… Uma pena!! A idéia do Bruno, de um sistema de respostas que gerencie o retorno ao comentarista, é muuuito interessante…

    :)

  11. Acho que aqueles que comentam não deixam de ser fãs, e como fãs devem ser “alimentados”. Todo artista-blogueiro quer e gosta de comentários, assim como o “comentárista” gosta de saber que seu comentário foi, ao menos, lido. Eu procuro responder aos meus comentaristas (bem menos que os seus,rsrsrs) e eu volto aos comentários que fiz para saber se tem alguma ‘novidade’.

  12. Bom, conheci seu blog através da brincadeira das placas, lembra-se? Até comentei que foi uma idéia ótima do “pessoal do Marmota” (como esquecer disso?). Aí, você comentou meu post, dizendo que não tinha pessoal não, era só você mesmo.
    A partir daí, comecei a te visitar e a comentar seus posts. Comecei a comentar mais mesmo depois que te conheci, no jantar da Fal (porque te achei deveras divertido!).
    Nem esperava receber comentários, nem via blog nem de outra forma (pois, afinal você é praticamente um blog star, risos).
    Mas fiquei muito surpresa e feliz ao receber algumas respostas suas por email. Acho uma forma mais pessoa e simpática de resposta. Até porque, deixei de re-ler comentários a fim de buscar respostas para eles há tempos!
    Tenho por hábito, responder os meus comentários no próprio blog, pq é mais fácil… mas não é uma forma tão elegante, quanto por email.
    (ficou bem sucinto esse comentário, né?)
    Abração!

  13. Marmota,

    Primeiramente gostaria de agradecer pelo link!!! Fico também contente por meu comentário ter despertado uma necessidade de post.

    É bom saber que responde aos comentários. Gosto de respondê-los no próprio blog mas acredito que pude compartilhar aqui muitas outras formas de interação. Bem, para mim o ideal seria a utilização de duas dessas formas citadas quaisquer… a depender do numero de blogs e comentários que cada um de nós tenhamos por ai…
    Como tenho poucos comentários e normalmente eles são respostas a posts que não carregam nenhuma polêmica, opto por respondê-los exclusivaente no próprio blog. [Fico sempre me perguntando: Será que alguém volta para saber se obteve rsposta?].
    Por hora é isso. Valeu!!!!!!!

  14. É mto legal quando nos leitores recebenos o retorno de um comentário.

    Mais do que legal, é importante essa comunicação entre o visitante e o blogueiro…

  15. Geralmente eu respondo no próprio post ou vou no blog de quem comentou e agradeço o comentário…. depende do tipo de comentário e de post que tem no blog.

    bjs

  16. Quando digo que o que blogueiro lê mais é blog… Nem sabia desse papo de “diálogo” até recentemente. Meu blog tem poucos comentários porque ninguém gosta de passar no typepad. Quando há muitos sobre o mesmo assunto eu faço um post.
    Devido às minhas limitações atuais escrevo poucos comentários e leio poucos blogs. Prefiro o e-mail porque possibilita conhecer melhor o leitor. É assim que conheço via mail uma boa centena de blogueiros. É pessoal e o leitor revela mais de si que em um comentário público. Não publico mail não. Seus já recebi acho que uns rês e um deles foi uma bronca — até Marmota tem seu dia de onça má ;)) Já levei bronca de muita gente porque sou mal-comportada mesmo. Sou tr00(autêntica.)

  17. Olha, eu achava que tratava bem respondendo aos comentários no próprio post. Agora concordo que por e-mail é muito mais simpático e pessoal, dá aquele afago ao leitor sem precisar dizer “volte mais vezes”! Ele volta. Vou estudar instaurar isso no meu pobre blog também.

    E não percam a versão DOIS deste post: “Como comentar um depoimento no Orkut”! Huahuahua!

    No mais, legal o seu blog, visita o meu! ;)

  18. Olhe, meu amigo, nem sei com agradecer a honra de haver sido citada em seu excelente texto. Agradeço o prestígio e convido-o para ler meus textos no site Recanto das Letras.
    http://recantodasletras.uol.com.br/escrivaninha/
    Obrigada mais uma vez e lembre-se de dar uma passadinha no site, pois se vc gostou do meu comentário, vai gostar dos meus poemas e crônicas. Um beijo agradecido. Tânia.

  19. Olhaí, eu sinto um arrepio terrível de muita emoção em ver vc fazendo menção ao meu comentário. Volto aqui para agradecer a honra e novamente bater palmas para o seu trabalho. Se quiser ler os meus textos , visite o Recanto das Letras, srá mais emoção e prazer.Bj. Tânia.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*