Como blogs me ajudaram a descobrir a musiquinha da Claro

Talvez você não se lembre – e tem gente que nem imagina – como era a nossa vida musical sem a Internet. Para capturar uma música bacana e ouvi-la repetidas vezes, era preciso contar com uma matriz compatível com o 3 e 1: um LP ou cassete. Ou ainda um processo complexo envolvendo a tecla pause, usado por mim e pela Clarissa por muito tempo: dependia da boa vontade de sua rádio preferida, do silêncio do locutor e da transmissão FM sem chiados. Nos dois exemplos, quem desempenhava o papel de dispositivo de armazenagem era a fita virgem. O resultado era sempre horrendo, mas não havia outro jeito.

Esse martírio deu lugar a uma série de milagres espetaculares. Foi assim esses dias, quando vi pela primeira vez uma propaganda da Claro – aquele em que bolinhas vermelhas saem de um telefone e cada vez mais pessoas se juntam, seguindo-as. Ao fundo, uma música muito legal que, se minha memória não falha, toca em Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças: um coral de vozes em harmonia com violinos, flautas e um ritmo intensamente gostoso de ouvir. Uma canção tocante.

A dúvida é inevitável: que música é essa? Existem muitas formas de buscar respostas. A mais cômoda, e usada pela maioria dos internautas-padrão, é botar duas ou três palavrinhas no Google e encontrar a primeira página sobre “músicas de comerciais” – como este, do euPodo. Mesmo que o texto não resolva seu problema, pra quê pensar e procurar mais, se algum idiota pode fazer esse trabalho? É só escrever um comentário assim: “gostaria de saber o nome daquela música que toca no comercial da Claro. No aguardo, agradeço”.

Como eu sei que você, assim como eu, jamais seria tão ridicularmente preguiçoso assim, vamos à dica certeira, especialmente quando não se sabe nada sobre a canção. Alex Castro ensina: decore algumas boas palavras da música e jogue no Google. Acrescentando “cifra” (músicas nacionais) ou “lyrics” (internacionais) na busca, os resultados virão mais facilmente. No meu caso, escolhi algo como “just follow day reach for the sun”.

Veio a resposta que precisava: The Polyphonic Spree – Light And Day. Bingo! Hora de saber mais sobre a banda, que não conhecia. Caí no Dudu Tomaselli, que às vésperas do lançamento do novo álbum, rabiscou algumas linhas: o grupo, de Dallas, reúne 23 músicos. E teve outra música, Follow the Day, num comercial da Wolkswagen.

Encontrei logo depois o texto perfeito sobre o tema, no Bicho de Goiaba. Além do clipe da música, o autor do texto (um dos membros da trupe) revela ainda que sempre sonhou em fazer um comercial como este, produzido pela Almap. Bacana!

Mas a saga não precisa acabar aqui. Com toda informação na mão, é hora de “capturar a música”. Para fazer a coisa certa, sem sair do computador, é preciso entrar numa loja virtual e comprar a música ou o CD todo. O primeiro impulso da maioria, no entanto, recai nas populares redes p2p – afinal, uma musiquinha baixada ali não vai mudar a cotação do dólar.

Mas dá para ir mais longe, usando apenas o Google (sempre ele). Desta vez, quem ensina é o Daniel Santos: uma busca usando intitle:”index.of” traz apenas aqueles diretórios que não possuem um arquivo índice, exibindo uma página semelhante ao Windows Explorer, por exemplo. Belo jeito de encontrar qualquer tipo de arquivo para baixar!

Para ninguém me acusar de “pirata”, não vou dizer se consegui incluir Light And Day, do The Polyphonic Spree, no meu mp3 player. Se você tentar, talvez descubra a resposta.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*