Cinco atitudes irritantes em um fast-food de aeroporto

Santiago (Chile) – Vai pegar um avião na véspera de um feriado prolongado? Boa sorte. Além das turbulências de ocasião, atreladas ao interminável caos aéreo, é preciso paciência para encarar outras demonstrações de falta de respeito. Todas concentradas na parada rápida para comer antes do embarque.

Existem duas excelentes atitudes que podem ajudá-lo na hora de encarar o lotado fast-food do aeroporto. A primeira: comer em casa, antes de sair, e ignorar qualquer sinal de fome antes da sagrada distribuição de suco light de goiaba e barrinha de cereal. A segunda: entrar na fila, relaxar completamente e ignorar as situações a seguir.

#5 Você vai pagar mais caro – A reação inicial, antes mesmo de chegar ao estabelecimento, é a de pavor: “caraio, quanta gente”. Logo depois, o segundo impacto: os preços absurdos. Somando os três e cinquenta da latinha de refrigerante com os dezoito reais do pedacinho de pizza individual, dá pra pagar uma boa churrascaria rodízio.

#4 Não vai ter lugar para sentar – Apesar da alta rotatividade e da rapidez na hora de engolir seu lanche ou prato, a chance de encontrar uma mesa vaga é pequena. E fica ainda menor graças a dois tipinhos malditos: o babaca que fica reservando a mesa (sentado à toa pelo tempo suficiente de uma refeição) e o mané que termina de comer e fica discutindo sobre Deus e seu tempo com a família. Isso quando não são os mesmos.

#3 Não vai ter o seu pedido – Então já se passaram mais de trinta minutos de espera. A fila caminhou alguns centímetros. Alguma atendente simpática até já veio anotar seu pedido e lhe entregou um papel para agilizar as coisas. Para quê tudo isso, se na boca do caixa, a outra mocinha lhe diz: “sinto muito, esse que o senhor quer tinha, mas acabou”. Vão te oferecer um produto qualquer em substituição, que provavelmente você vai odiar.

#2 Algum esperto vai furar a fila – Antes mesmo de pagar e pegar, você ainda pode ser surpreendido pelo pior tipo de gente: o espertalhão. Aquele que estava circulando na livraria, nas lojas do aeroporto e, de repente, reencontra o amigo na boca do caixa. Todos ao redor vão reclamar: “por que eu estou aqui esperando enquanto e esse imbecil não?”. O outro lado também vai demonstrar razão: “ai, que diferença faz pedir duas ou três coisinhas a mais?”. Deve ser o tipo de idiota que joga uma latinha de refrigerante na rua e acha a coisa mais normal do mundo.

#1 Vai demorar… – Pois bem, tudo que você queria desde o início era aplacar sua fominha chata antes de curtir sua viagem. No fim, a força exercida pela falta de comida foi vencida por outras maiores. Enquanto você come, vagarosamente, faz o possível para esquecer dos perrengues até ali. E quando você começava a gostar do seu pedido, percebe que seu vôo está sendo chamado. “Puxa, eu podia jurar que ainda tinha alguns minutos…”. Até tinha, não fosse o “ágil” fast-food.

André Marmota é professor universitário e ouvinte frequente da pergunta “mas e além disso, você também trabalha?”. Quer saber mais?

Leia outros posts em Top 5. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (5)

  1. talvez naum passece por um por um perrengue desses pq sou um dos espertalhões ou melhor espertalhona..sou kra d pau msm furo fila e nem quero saber ce a pessoa fikr enrritada..ps: mais eu naum jogo lixo no xão naum, muito pelo contrário eu sou a ki mais respeita a natureza aki da minha galera…

  2. Putz… que meleca…

    Isso me lembra que minha primeira e única experiência com aeroporto foi mega conturbada (esqueci de levar RG original e saí correndo para pegar em casa, no meio do coaminho, lembrei que a chave de casa ficou com o Rodrigo, lá no aeroporto… enfim… graças a Deus deu tudo certo no final!)…

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*