Antonio Rocha Neto é o autor de “Dúvidas Pascoais”

Dois fenômenos de explicações controversas costumam povoar blogs iniciantes e caixas de e-mail em todo o mundo: a figura do “autor desconhecido” ou o texto ruim assinado misteriosamente por escritores consagrados. Independente das razões, a verdade é que não existe palavra encadeada sem alguém por trás dela. E são centenas (ou mesmo milhares) de casos em que a óbvia presença do responsável pelo texto simplesmente não apareça, ou esteja assinado como Verissimo, Jabor ou Drummond. E pior: as pessoas continuam espalhando textos dessa forma.

Há casos em que as mensagens praticamente ganham vida própria, aparecendo como por encanto onde menos se espera. Especialmente em festividades pontuais, como a Páscoa. Acompanhe o texto a seguir, que não tem nada de inédito: desde os primórdios do e-mail, recebo o mesmo texto algumas dezenas de vezes, sempre na Semana Santa.

– Papai, o que é Páscoa?
– Ora, Páscoa uhm… Bem … Bom, é uma festa religiosa.
– Igual Natal?
– É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.
– Ressurreição?
– É, ressurreição. Marta, vem cá!
– Sim?
– Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu jornal.
– Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu?
– Mais ou menos … Mamãe, Jesus era um coelho?
– Que é isso menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! Jesus Cristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado… Jorge, esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma besteira dessas na escola? Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular esse moleque no catecismo!
– Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus?
– É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso no catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
– O Espírito Santo também é Deus?
– É sim.
– E Minas Gerais?
– Sacrilégio!!!
– É por isso que a Ilha da Trindade fica perto do Espírito Santo?
– Não é o Estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. É um negócio meio complicado, nem a mamãe entende direito. Mas se você perguntar no catecismo a professora explica tudinho!
– Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
– Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de presente ele traz ovinhos.
– Coelho bota ovo?
– Chega! Deixa eu ir fazer o almoço que eu ganho mais!
– Papai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa?
– Era, era melhor, ou então urubu.
– Papai, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, não? Que dia que ele morreu?
– Isso eu sei: na sexta-feira santa.
– Que dia e que mês?
– Sabe que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.
– Um dia depois?
– Não, três dias.
– Então morreu na quarta-feira.
– Não, morreu na sexta-feira santa … Ou terá sido na quarta-feira de cinzas? Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu na sexta mesmo e ressuscitou no sábado, três dias depois!
– Como?
– Ah, Pergunte para a sua professora de catecismo!
– Papai, por que amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua?
– É que hoje é sábado de aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
– O Judas traiu Jesus no sábado?
– Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!
– Então por que eles não malham o Judas no dia certo?
– É, boa pergunta. Filho, atende o telefone pro papai. Se for um tal de Rogério diz que eu saí.
– Alô, quem fala?
– Rogério Coelho Pascoal. Seu pai está?
– Não, foi comprar ovo de Páscoa. Ligue mais tarde, tchau.
– Papai, qual era o sobrenome de Jesus?
– Cristo. Jesus Cristo.
– Só?
– Que eu saiba sim, por quê?
– Não sei nâo, mas tenho um palpite de que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não acha?
– Coitada!
– Coitada de quem?
– Da sua professora de catecismo!!!

Agora que você já releu, segue uma informação que talvez você não saiba. A mensagem a seguir, que recebi há algum tempo, é semelhante a outras do mesmo teor, comentadas em inúmeros espaços que já reproduziram o mesmo texto.

O motivo deste meu contato é o de apresentar-me como autor da crônica “Dúvidas Pascoais”.

Sou mineiro de Coronel Fabriciano- MG, mas moro, desde os 12 anos em Vitória- ES. Esta crônica, eu a escrevi já há um bom tempo, deve ter sido em 1986 ou 1987, e já a publiquei em um livro de contos editado pela LITTERIS EDITORA, do Rio de Janeiro, em 1994.

Sou graduado em economia e em filosofia, e mestre em filosofia. Trabalho como economista na Universidade Federal do Espírito Santo e dou aulas de filosofia em duas faculdades particulares da Grande Vitória.

Esclareço que a crônica “Dúvidas Pascoais” está sendo, em muitas páginas da internet em que aparece, atribuída a um autor desconhecido, ou mesmo ao Luiz Fernando Veríssimo - o que, no final das contas, me enche de orgulho, pois ser confundido com o Veríssimo não é para qualquer um.

Tenho outras crônicas na mesma linha de humor. Caso queiram conhecer, é só entrar em contato.

Um abraço,

Antonio Rocha Neto
rocha(a)prppg.ufes.br

Provavelmente a experiência do professor Rocha com esse texto deve ter influenciado um bocado em uma suposta decisão em criar um blog para publicar suas crônicas… Mas enfim, independente disso, faça um favor a todos que lhe encaminharem esse texto: responda algo como “esse texto chama-se Dúvidas Pascoais, e é de Antonio Rocha Neto. Da próxima vez, lembre-se de verificar quem é o verdadeiro autor antes de passar o texto para frente”.

André Marmota dialoga muito com o passado, cria futuros inverossímeis e, atrapalhado, deixa passar algumas sutilezas do presente. Quer saber mais?

Leia outros posts em Alô Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (11)

  1. Nunca faço isso, mas desta vez é irresístivel comentar sobre a última rapidinha da sua rede de delicious: “Garoto de 15 anos vence concurso anual de chulé – Minha Notícia – O mundo é de quem faz – Últimas notícias escritas por você no canal de jornalismo participativo do iG: Mudou a minha vida”.
    Mudou minha vida também e confirmou uma das coisas que eu já vinha pensando a respeito desse tal jornalismo participativo que virou febrinha nos portais: ou os assuntos não são palpitantes – como neste caso – ou são, e aí passam a impressão de que o portal tá se “aproveitando” desses repórteres voluntários, que fazem matérias a custo zero só pelo prazer de participar – e eles lá, só no prazer de ganhar mais dinheeeeeeeeiro, a custa dos outros. Mas posso estar sendo amarguinha como você diz… ;)

    Beijo – mas esse não é de Judas, tá?

  2. André,

    Boa tarde. Sou o Antonio Rocha Neto, autor da crônica “Dúvidas Pascoais”. Gostei dos comentários que você postou no blog. Caso queira conhecer outras crônicas minhas, é só me indicar um e-mail para o envio. Não possuo um blog onde as crônicas, contos e poemas de minha autoria estejam postados.

    Aguardo seu contato,

    Antonio
    Vitória-ES

  3. Já tinha lido esse texto… mas é sempre divertidíssimo relê-lo!!
    O pior é que as dúvidas, se vc pensar bem, fazem sentido…

    Legal ter encontrado o autor verdadeiro!

  4. Nhá, dá pra sentir que não é Veríssimo. Tinha até ficado triste há pouco pensando que fosse texto dele, porque achei bem… pouco naturais as piadas.

    Pesquisei para saber se o texto era realmente dele e acabei caindo aqui. Desconfiei de que não fosse porque sempre achei o Veríssimo imbatível em crônicas de humor e, por não ter achado tanta graça nesse texto, pensei que estivesse a me enganar.

  5. Adoro esta crônica! E também acho que humor inteligente não é para todos… nem tudo que é engraçado vem em forma de “piada”.

  6. Olá, Antonio eu estou fazendo um trabalho escolar sobre cronicas, e gostei muito da sua , e eu precisava além da cronica para o trabalho de Português, um questionário de algumas perguntas sobre a cronica, Eu queria saber se você tem algumas questoes sobre a cronica?!?

    Obrigado!!!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*