Agarrar

Olha, algumas palavras são como pessoas:
o contexto é capaz de transformá-las.
Observe o verbo “agarrar”, por exemplo.
A não ser que você já tenha maldade em mente,
agarrar pode ser um simples gesto com as mãos.
Num gramado, bons goleiros precisam agarrar firme.
Num texto, as primeiras linhas também querem isso:
agarrar você até o último ponto final.
Também pode ser uma oportunidade que se abre,
uma chance para agarrar com unhas e dentes.
Pensando assim, agarrar não parece malicioso.
Até que eu te peça pra pensar numa palavra
pra sussurrá-la, bem baixinho, no ouvido…
Adivinhe o que estou pensando em fazer quando te encontrar.

André Marmota é professor universitário e ouvinte frequente da pergunta “mas e além disso, você também trabalha?”. Quer saber mais?

Leia outros posts em Curtas. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (7)

  1. Eu tenho lido muita besteira por aí, infelizmente. Esse seu texto foi um Oásis. Excelente. Curto, direto e cheio de poesia. Muito bom, me fez até comentar. :-D
    Abraços e sucesso,

  2. Lindinho o texto André! Bem despretensioso… hehehe!
    Adoro seus textos, aliás quando vcs vão atualizar o lovelive, hein? hein?
    Beijinhussssssss

  3. Esse texto mostra que você é um verdadeiro “Amigo das Letras”, uma simples palavra e sua grande importância, com sua magia.

  4. Sai fora, rapá!

    Se você continuar seguindo nessa linha de “Pegador de Baurú”, serei obrigado a deixar de ler seu blog.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*