Agarrar

Olha, algumas palavras são como pessoas:
o contexto é capaz de transformá-las.
Observe o verbo “agarrar”, por exemplo.
A não ser que você já tenha maldade em mente,
agarrar pode ser um simples gesto com as mãos.
Num gramado, bons goleiros precisam agarrar firme.
Num texto, as primeiras linhas também querem isso:
agarrar você até o último ponto final.
Também pode ser uma oportunidade que se abre,
uma chance para agarrar com unhas e dentes.
Pensando assim, agarrar não parece malicioso.
Até que eu te peça pra pensar numa palavra
pra sussurrá-la, bem baixinho, no ouvido…
Adivinhe o que estou pensando em fazer quando te encontrar.

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Curtas. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (7)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*