Adivinhem quem está de volta?

Esta é para você Sabbath´s, que está sempre ligado nos lançamentos da Mesa branca Records, aquela gravadora fictícia que insiste em trazer de volta canções inéditas de músicos que descansam em paz: Renato Russo, Cassia Eller, Mamonas Assassinas, Tom Jobim…

E vem aí mais um lançamento exclusivo desta turma do além, e este certamente muitos vão gostar: ainda neste mês, chega às casas do ramo o CD inédito de Raul Seixas – Anarkilópolis. Segundo o site oficial do fã clube do cantor, o novo trabalho traz uma coletânea que conta com a participação de outros nomes: Sérgio Dias, Pepeu Gomes, Jackson do Pandeiro, Wanderléa, Gilberto Gil, Sérgio Sampaio, Roberto Frejat, Marcelo Nova, André Christovan, Liminha, Celso Blues Boy e Rick Ferreira.

O CD vem em boa hora: o aniversário de Raul Seixas, falecido em 1989, será comemorado pelos fãs no próximo dia 28 de junho com o novo CD. E eles garantem: “Trata-se de uma coletânea com um repertório bem diferente daqueles que estamos acostumados a ver nos ditos “caça-níqueis” lançados com freqüência pelas gravadoras onde Raul deixou sua marca”.

Como não poderia deixar de ser, tem música inédita! Anarkilópolis, composta em parceria com Sylvio Passos em 1984, nada mais é que uma versão 2.0 de Cowboy Fora da Lei, último grande sucesso do Maluco Beleza. Confira a letra desta nova canção:

Eu estava na cidade comprando milho pras galinhas
Quando um garoto chegou correndo para me avisar
Que a diligência do correio tinha deixado uma carta pra mim
Uma carta? De quem seria essa merda? … é, pois é… mas…
ah… que era da prefeitura de Anarkilópolis
Me convidando para uma festa da sua emancipação
Ok, boy…

Uísque de montão eu vou beber
E fazer tudo que eu quero fazer
Cada um manda no seu nariz
Por isso que o povo lá é feliz
É isso aí!
Meu filho, é isso aí…
Agora

Montei no meu “silver-jegue”
E parti com o firme propósito
de unir o útil ao agradável
Pois Anarkilópolis era também
O berço da minha amada
A bela Josefina Lee
Filha única do meu amigo
Xerife James Adean
Enquanto o jegue seguia rinchando
Eu seguia pela estrada cantando:

Eu não sou besta pra tirar onda de herói
Sou vacinado, eu sou cowboy
Cowboy fora da lei
Durango Kid só existe no gibi
E quem quiser que fique aqui
Entrar pra história é com vocês

Quando eu e meu jegue chegamos em Anarkilópolis
Pensei que tinha me enganado até de cidade
Tinha uns caras mal encarados armados até os dentes
Percebi logo a situação
Os bandidos haviam dominado o lugar
E mantinham todos como reféns
James Adean não era mais o Xerife
E só se via a cara das pessoas com tristeza e medo

Deus me livre, quase que eu dancei
Dedo no gatilho era da lei
Sozinho e desarmado estava ali
Pra o diabo, os que me chamaram aqui
Foi então…

Eu não sou besta pra tirar onda de herói
Sou vacinado, eu sou cowboy
Cowboy fora da lei
Durango Kid só existe no gibi
E quem quiser que fique aqui
Entrar pra história é com vocês

Meu filho, é isso aí…

Veja mais nesta matéria do Estadão.

Comentários em blogs: ainda existem? (4)

  1. Porrrraaaaaa!!!!agora q eu vi!! Ian Brownieeee 7 Dilmarx Dilermando!!! ficou show a foto!!! :)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*