A grande abóbora da Páscoa

Duas pequenas tradições pascoais já fazem parte da minha história recente de vida. A primeira é o Churrasco da Sexta-feira Santa, cujos sinais de fumaça já deixaram a chaminé conclamando os amigos para mais uma noite agradável à base de picanha e maminha na manteiga – aliás, quem quiser participar da sétima edição, mande um alô.

A segunda é a abóbora com tudo dentro ao estilo da minha mãe.

Abóbora

Já não lembro mais quando começou, nem mesmo se Palmirinha Onofre é a responsável pela receita original. Tudo que eu lembro é da mistura saborosa entre as paredes internas e moles da moranga com as generosas porções de queijo derretido.

Ela também me traz boas lembranças de 2001, quando minha falecida vó passou a semana santa aqui em casa. Ela se surpreendeu não apenas com o sabor forte do dendê e do camarão, mas também com o ovo de chocolate de 5kg que havia encomendado… Saudades.

Compartilho aqui as instruções da minha mãe, para quem sabe replicar o sucesso da grande abóbora em uns dois ou três lares nesta sexta. Você vai precisar de

1 abóbora, evidentemente;
500g de camarão limpo – eu gosto do grande;
1 cebola;
2 dentes de alho;
3 colheres de sopa de azeite;
1 colher de sopa de azeite de dendê;
1 copo de requeijão cremoso;
queijo provolone a gosto;
sal, pimenta e cheiro verde, também ao gosto do freguês;

A cebola e o alho são refogados no azeite. Aqui vai também o dendê, pra dar um gostinho diferente. Quando a cebola dourar, coloque o camarão na panela. Além do sal, da salsinha e da cebolinha (minha mãe não põe coentro), um pouco de molho de pimenta completa o tempero.

Paralelamente, a moranga. Lave bem a parte externa, corte a tampa, tire as sementes e coloque pra cozinhar no microondas (sem água, sem nada) até o miolo ficar mole.

Aqui peço ajuda a quem entende do riscado: quem não tem microondas, deve conseguir efeito parecido no forno, enrolando a abóbora com papel alumínio.

Enfim. Depois é só besuntar bem o interior da moranga com requeijão, colocar pedacinhos de provolone e o recheio refogado.

Depois é só botar pra esquentar até derreter o queijo, e em seguida servir até acabar. Aqui em casa praticamente não sobra nada para o Sábado de Aleluia…

Admito que não é lá muito sofisticada, mas se existe algo que vai além do chocolate, do bacalhau e do churrasco, sem dúvidas é a abóbora. Divirta-se!

André Marmota adora usar a função “rand” do PHP, combinada com um array repleto de frases diferentes. Paaaaarabéns! Quer saber mais?

Leia outros posts em Faça fazendo. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (4)

  1. Ai! Se não fosse “tradição” irmos para Poços me candidataria a participar do churras!
    Mas pode nos convidar quando rolar um outro churras!

    Ah, não curto moranga! Acho que tem uma textura esquisita!

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*