Um ano em uma ilha deserta

A Patricia Müller, acostumada a motivar pessoas a repensar suas posturas de vida, criar objetivos factíveis e partir em busca de suas realizações, bolou uma dessas correntes/tags/memes que valem a pena seguir. O extenso questionário envolvendo uma das mais triviais questões da humanidade chegou até mim graças ao Gilson Lorenti.

Quem gostou da idéia pode propagá-la à vontade – aliás, fiquei surpreso quando encontrei quase cem referências à lista de perguntas. Enfim, não deixe de avisar aqui, para que eu possa apontar seu link.

Atualizado: o Fernando MC Empada prosseguiu com a propagação do questionário!

A brincadeira é a seguinte: você vai passar exatamente um ano em uma ilha deserta. Lá existe uma certa infra-estrutura limitada, e apesar de algumas regalias (que dizem respeito ao que realmente importa em sua vida), você não terá a companhia de absolutamente mais ninguém. Tendo isso em mente, responda:

1. Na ilha você terá água à vontade e frutas nativas. Se souber pescar, com sorte vai poder comer um peixe de vez em quando. Fora isso, você terá que escolher apenas um tipo de comida salgada e um tipo de comida doce para comer todos os dias, o ano inteiro (podem ser cruas ou cozidas). Quais você escolhe?
A há! Eu sei pescar! Só teria que aprender a fazer fogo com dois pauzinhos, duas pedrinhas, palha seca, enfim. De qualquer forma, o único tipo de comida salgada é fácil: batata. Afinal, se os alemães passam a vida inteira à base de “kartofeln”, qualquer um consegue. O doce pode ser chocolate. Uma barrinha por dia.

2. Além da água (e, também com sorte, água de coco se você estiver disposto a subir no coqueiro) não há nenhuma outra bebida na ilha, mas você pode também escolher um único tipo de bebida, fria ou quente, alcoólica ou não, para ter à sua disposição ao longo do ano. Qual você escolhe?
Coca-cola. Pode ser um freezer vermelho, com estoque de latinhas.

3. Para manter a tradição, você pode também levar um único livro. Que livro você leva?
O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams. De preferência, o compêndio dos cinco volumes da trilogia.

4. Igualmente, você poderá levar um único filme para assistir. Que filme você leva?

Náufrago! (piada óbvia e fraca detected!) Não, melhor algo mais divertido, como Spaceballs do Mel Brooks, Monty Python e seu cálice sagrado, ou ainda De Volta para o Futuro.

5. Você terá um notebook à sua disposição, mas com um único programa instalado. Mas você não pode usar um programa de comunicação (como email ou mensagens instantâneas). Qual programa teria mais utilidade para você e por que?
Um editor de textos, como o bloco de notas. Aliás, entre tantos aplicativos úteis, já é praticamente o que mais uso, indiscutivelmente.

6. Você poderá acessar a internet, mas este acesso é limitado a um único site, o ano todo. (Se você escolher o Google, por exemplo, não poderá navegar para os links dos resultados da sua busca, que estão fora do Google). Também não pode ser seu webmail, Meebo e afins ou sites de notícias (o que elimina os portais). Fora isso, não há restrição nenhuma ao tipo de site, inclusive os que permitem comunicação de outros tipos. A qual site você quer ter acesso por um ano e por que?
Resposta óbvia? Twitter! E pensar que, até esses dias, eu não dava a menor pelota para esse servicinho…

7. Você também poderá ouvir música. Mas, claro, você terá que ouvir a mesma música o ano todo, pois só pode escolher uma. Qual você leva? E se fosse um CD?
Pensei em uma agora, que dá umas voltas na melodia e, por isso, não ficaria tão enjoativa para se ouvir um ano inteiro: Band On The Run, com Paul McCartney e Wings. Mas se fosse para levar um CD, talvez eu optasse pelo segundo acústico do Nenhum de Nós.

8. Você poderá escolher um dia do ano para fazer uma única ligação para uma única pessoa, com quem poderá falar por 10 minutos. Para quem você vai ligar, quando e por que?

Eu ligaria na véspera do último dia, para a minha casa. Falaria os dez minutos com a minha mãe, resumindo algumas coisas e pedindo para ela fazer uma lazanha com bastante molho.

9. Você poderá escolher um programa de TV para assistir ao longo deste ano na ilha – limitado à freqüência de uma vez por semana. Você só não poderá assistir nenhum tipo de noticiário, fora isso não há restrições. Que programa você quer assistir?
Assim como uma porção de gente deve responder “Twitter” ou “Náufrago” nas questões anteriores, vai chover de “Lost” nessa. Uma série bacaninha cai bem. Pode ser 24 horas, Heroes ou The Big Bang Theory.

10. Quando for seu aniversário, você terá direito a receber uma carta de um(a) amigo(a) ou familiar que tenha uma novidade para contar (sobre si próprio ou não). De quem você gostaria de receber a carta e com qual notícia?
Difícil essa: como adivinhar qual amigo ou familiar teria uma novidade pra me contar no dia do meu aniversário? Enfim, talvez eu conheça ao menos uma pessoa que escreveria uma carta por dia até o dia do meu aniversário.

11. Como não queremos que você transforme uma bola de vôlei no seu melhor amigo imaginário e a única pessoa na ilha será você, você terá direito a levar um animal de estimação para lhe fazer companhia (veja como estou facilitando sua vida!). Que tipo de animal você escolhe e por que? É um animal que você já tenha?
Olha o Náufrago aí de novo! Mas eu não levaria animal algum, não. Talvez um cachorro, mas não sentiria falta dele se não estivesse lá.

12. Do que você acha que sentirá mais falta? (Contato com as pessoas, tecnologia, não saber o que está acontecendo no mundo, etc…)
Das pessoas, lógico. Não é fácil para ninguém ficar sozinho por muito tempo. Não fosse o Twitter, certamente eu levaria poucas semanas para surtar completamente.

13. Por outro lado, o que você acha que será positivo, proveitoso ou benéfico na experiência? Ou divertido?
Talvez eu conseguisse aprimorar uma série de habilidades que podem fazer falta um dia, como cozinhar. Mas reitero: não aguentaria ficar muito tempo sem contato algum com pessoas. Não vejo como isso pode ser divertido ou positivo – é possível interpretar como benéfico, tanto quanto um exercício militar, digamos.

14. Por fim, você tem direito a levar 3 outros itens à sua escolha que:
a) não entrem em contradição com nenhuma das perguntas anteriores
b) não seja algo que você vá usar para sair da ilha, como um barco, por exemplo.
O que você vai levar e por que?

Ah, talvez eu levasse: uma máquina fotográfica digital, um cartão de memória (contendo fotos de pessoas que adoro) e um carregador de baterias alimentado por energia solar. Serviria para matar saudades em momentos críticos e registrar cenas pitorescas (para complementar os relatos desenvolvidos no bloco de notas).

Concluo aqui com uma citação de Alexandre Inagaki: “A melhor resposta a pergunta `que livros você levaria para uma ilha deserta` já foi dada por Luciana Naomi Hikawa: Mil e Uma Receitas com Coco, Mil e Uma Receitas com Peixe, Aprenda a Construir sua Própria Jangada, Sinais de Fumaça e Código Morse em 10 Dias e, é claro, Robinson Crusoé”.

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Faça fazendo. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (3)

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*