O tempo é sábio. Definitivamente.

O texto a seguir foi publicado na era pré-MMM, em uma das minhas primeiras experiências como blogueiro na vida. Trata-se de uma das minhas primeiras postagens no blog coletivo Vamos Discutir a Relação, redigida exatamente no dia seis de agosto de 2001.

Em linhas gerais, conta a história de um amigo e sua namorada. Os dois viviam brigando, mas acreditava que, no futuro, sairia casamento.

Na noite de sábado para domingo tive um sonho esquisito. Sonhei que estava no Beira-Rio acompanhando a final da Libertadores entre o Colorado de Ases Celeiro e um time qualquer do Paraguai. Ao meu lado, estava o Casal 20, já citado pela monitora das discussões de relacionamentos deste blog Laura Prado. Estavam casados e felizes.

Acordei com um telefonema. Era a porção “ele” do Casal 20.

– Fala, seu cururu! – saudação que faz parte do nosso dia-a-dia.
– Pois não, seu estúpido! Tá feliz em me tirar da cama? – respondi, ainda mais simpático.
– Cara, acredite: ontem liguei pra ela e ficamos discutindo a nossa relação. Disse que não aguentava mais. E você me conhece: quando eu tomo uma decisão, é pra valer.

Aquilo fez com que o meu sonho viesse à tona mais uma vez. Quer dizer então que era um presságio: nada daquilo que eu sonhei vai se tornar realidade. Que droga! Nunca vou ver o meu time campeão da Libertadores!

Ontem à noite, após mais uma derrota do meu time do coração, apesar de ter jogado bem, toca o telefone da redação.

– Redação, boa noite.
– Fala, estúpido!!!

Era ele. De novo.

– Vamos pra festa do “Quero Pizza”? – referindo-se a tradicional festa de N. S. Achiropita.
– Claro, é só eu fechar a capa do site. Quem vai com a gente?
– Você, eu e ela…
– Ela? Mas vocês não…
– Não necessariamente. Te conto depois.

E eles deixaram para discutir a relação outro dia, e continuam se amando. Boa, casal 20. Ainda resta uma esperança. Vamos, Parreira, para que o meu sonho se realize, só falta a sua colaboração!

Três anos depois, duas constatações. A primeira: se depender daquela relação, meu time – que já não conta mais com o sóbrio Parreira, mas com um bêbado, jamais vai ganhar a Libertadores. A segunda: o tempo, definitivamente, é a melhor das químicas: consegue transformar uma história intensa em mais uma dessas que não querem dizer nada.

André Marmota acredita em um futuro com blogs atualizados, livros impressos, videolocadoras, amores sinceros, entre outros anacronismos. Quer saber mais?

Leia outros posts em Plantão Marmota. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (2)

  1. Marmota, algumas considerações:
    1. O tempo e a oligocefalia destroem qualquer piada
    2. Você realmente contava com o Parreira pro seu time ganhar a libertadores?
    3. Eu descobri, navegando pelos blogs aí do lado, que você é consultor de relacionamentos, lá no FAQ do Amor. Muito legal a proposta do blog. Acho que todo mundo um dia já escreveu sobre o assunto. Só queria saber por que ninguém comenta por lá… Preguiça mesmo ou existe alguma maldição?
    Beijos e bom fim de semana!

  2. Você tem razão. O tempo é mesmo sábio. Faz a gente enxergar as pessoas como elas são verdadeiramente.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*