O jeito japonês de se contar uma história

Recebi esses dias o aviso do meu grande amigo Marecelo, o Dragão Gordo: no próximo dia 3 de julho, começam em São Paulo dois eventos voltados para os fãs de anime, mangá e outros itens que fazem parte da cultura japonesa: o Anime Friends e o Animecon, repletos de atrações e convidados do ramo.

Mas você sabe o que é anime? E mangá, você conhece?

Cultuados em todo o mundo, anime e mangá podem ser definidos, em poucas palavras, como quadrinhos e desenhos animados japoneses. O irmão mais velho é o mangá: criações de estilo inconfundível, como a forte expressão no olhar dos personagens, sobre os mais variados temas. Os mais conhecidos referem-se a quadrinhos eróticos e as aventuras de super-heróis.

E qual a explicação para tanto sucesso? Diferente dos super-poderosos ocidentais, os heróis japoneses possuem tantas fraquezas quanto qualquer um de nós. Também não são imbatíveis: sofrem não apenas nas batalhas, mas também com seus defeitos. Possuem personalidade forte, o que confere uma poderosa alma às histórias.

Os primeiros mangás surgiram no século XIX, mas foi após a II Guerra Mundial que esse tipo de entretenimento se popularizou, com Osamu Tezuka, considerado o “Deus do Mangá”. A partir dali, artistas aperfeiçoaram o “jeito japonês” de se contar uma história, como bem definiu este artigo do Omelete. Um jeito que virou fenômeno de vendas até no ocidente.

Dos quadrinhos para as telas, o mangá virou anime. Foi o tiro de misericórdia. Ou melhor: alguns tiros certeiros: Kimba, A Princesa e o Cavaleiro, Patrulha Estelar, Pirata do Espaço, Zillion, e mais recentemente, Cavaleiros do Zodíaco. Graças a estes e outros desenhos, o Brasil se rendeu a febre.

A consequência de tudo isso está muito bem explicada no site do Anime Friends: “Estas duas criações orientais, recheadas de cultura e estilo, não mais fazem parte apenas do imaginário do povo japonês, mas fascinam multidões ao redor do mundo, e hoje são dois poderosos produtos de massa, que geram milhões de dólares por ano”.

Aos fãs dessa incrível cultura, estão feitos os dois convites! Quem sabe você não dá de cara com o Marcelo e tem outra aula sobre o tema…

André Marmota tem uma incrível habilidade: transforma-se de “homem de todas as vidas” a “uma lembrancinha aí” em poucas semanas. Quer saber mais?

Leia outros posts em Fique por dentro. Permalink

Comentários em blogs: ainda existem? (5)

  1. Olá mocinho!Como vai? Bem, né? Então tá bom…Tô com saudade, hein! Faça algo para me ajudar…Gosto de mangá. Não pela história, li pouquissímas na vida, mas pelos desenhos… Vivo tentando copiá-los, acho realmente muito bonitinhos. Um dia eu consigo… Enquanto continuo tentando…Beijinhos carinhosos.

  2. Sempre gostei de anime, desde pequena… eu até sabia cantar a música do cavaleiros do zodíaco… e eu já tinha uns 20 anos qdo assisti ao desenho… epa, eu não devia falar isso aqui, né? isso certamente é o tipo de coisa q vai me comprometer depois ;-Pv–v

  3. Eu não acho…Acho que tem que cantar.Em voz alta!Posso contar? O André também sabe cantar!^_^

  4. Nunca me liguei em animes e mangás, apesar de gostar de quadrinhos e desenhos animados. Na verdade acho que nunca me liguei em desenhos e quadrinhos japoneses. Deve ser um “preconceito incluso” no meu inconsciente.

Vai comentar ou ficar apenas olhando?

Campos com * são obrigatórios. Relaxe: não vou montar um mailing com seus dados para vender na Praça da República.


*